Dois jovens invadiram nesta quarta-feira (13), por volta das 9h30 (horário de Brasília), a Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano, na Grande São Paulo. Armados e encapuzados, os dois abriram fogo, matando oito pessoas, sendo seis estudantes e dois funcionário da escola. Em seguida ao ataque, os dois atiradores cometeram suicídio. As informações foram passadas pela Polícia Militar.

As primeiras informações dadas pelas autoridades que estão no local à imprensa dão conta que ao menos 17 pessoas sofreram ferimentos e estão sendo levadas a hospitais da região.

No entanto, a Polícia Militar não confirma os números. Dez adolescentes foram encaminhados ao Hospital Santa Maria, que fica apenas a 300 metros da escola. Outros feridos foram levados para a Irmandade da Santa Casa de Misericórdia, também em Suzano, contudo, não há informações sobre o estado de saúde dos feridos.

O socorro às vítimas

A Polícia Militar, por meio da capitão Cibele, da área de comunicação, informou aos jornalistas que minutos antes do atentado a polícia foi notificada de uma ocorrência envolvendo arma de fogo, próximo ao local, mas não se pode ligar um caso ao outro.

O Corpo de Bombeiros e equipes do Samu foram acionados e se dirigiram ao local. O Corpo de Bombeiros da cidade vizinha de Mogi das Cruzes também está no local. O helicóptero Águia, da Polícia Militar paulista, sobrevoa a região, que está tomada por todo o efetivo da polícia da cidade.

Dados do Censo Escolar divulgado no ano de 2017 dão conta que a Escola Estadual Raul Brasil possui 358 alunos do ensino fundamental, com turmas do 6º ao 9º ano, e 693 alunos do ensino médio. A escola atende estudantes que variam em sua grande maioria de 11 a 17 anos.

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Polícia Educação

Ao todo, a escola conta com mais de 1.000 alunos e 105 funcionários.

O governador do Estado, João Doria (PSDB), e o secretário de Educação, Rossieli Soares, o secretário de Segurança, João Camilo Pires, e o coronel Salles se dirigiram até a cidade de Suzano para acompanharem o caso. O governador publicou uma mensagem em sua conta oficial no Twitter.

Membros de uma igreja ouviram os disparos

Membros da igreja Messiânica Mundial, localizada em frente à escola, ouviram os disparos durante o intervalo dos alunos.

Um funcionário da igreja, Marcos Filho, disse ao portal UOL que ao ouvir os primeiros tiros se dirigiu à entrada do templo e pôde perceber o que estava acontecendo. Ele afirmou que viu diversos alunos correndo em meio ao desespero, muitos estavam gritando e chorando.

A igreja está sendo utilizado como abrigo aos que chegam em busca de informações, que ainda são muito desencontradas e à medida em que os pais vão chegando ao local, o desespero aumenta. Ainda não se sabe qual a razão do ataque, a Polícia Militar deverá dar novas informações nas próximas horas.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo