Nesta ultima quarta (13) ocorreu o atentado na Escola Estadual Professor Raul Brasil, em Suzano, na Grande SP, onde dois autores entraram atirando e deixaram sete vítimas fatais entre alunos e funcionários da encola. Gabriel Martins por pouco não foi mais uma vítima do atentado. O jovem de 16 anos conseguiu se salvar devido ao fato da arma de um dos atiradores ter falhado.

Gabriel relatou que tudo aconteceu durante o horário de intervalo da escola. Ele disse que estava conversando com seu colega Claiton Antonio, 16 anos. Estavam entre amigos em frente ao Centro de Estudos de Línguas, que fica dentro das dependências da escola.

De repente teria ouvido um barulho e quando se deu conta, viu que os colegas estavam correndo. ”Não tinha para onde ir, o portão do CEL estava trancado”, relata.

Gabriel relatou ainda que o atirador que usava a máscara de caveira, aproximou-se deles e disparou várias vezes, um dos alvos foi o estudante Anderson Carrilho, seu melhor amigo, que teria tomado três tiros, isso tudo aconteceu cerca de um metro de distância de Gabriel.

Revólver falhou e deu oportunidade de vida para Gabriel

”Foi aí que o assassino virou de costas para recarregar a arma e virou para nós novamente. Ele mirou em mim, quando foi atirar, a arma falhou. Foi um momento de desespero sem reação do que fazer”, disse o estudante que afirma que naquele momento pensou que não sobreviveria.

Gabriel e seus companheiros conseguiram arrombar o portão do Centro de Estudos de Línguas (CEL), trancaram-se no interior de um banheiro e ligaram para Polícia. O atirador teria ouvido a ligação e tentou entrar no banheiro, dando chutes na porta com o intuito de arrombá-la, contudo não conseguiu, e foi aí que Gabriel ouviu os disparos finais, onde o atirador mais novo teria matado seu cúmplice e depois cometido suicídio.

A mãe de Gabriel, Silvia Martins disse algumas palavras sobre o filho: “esse é meu herói, minha vida. Um bom menino, ele está bem abatido, mas com fé vai superar o que passou”. A família de Gabriel neste momento está amparando ele e dando apoio para que consiga retornar à vida normal.

Quanto aos amigos que estavam com ele, Anderson Carrilho se encontra internado na UTI do Hospital das Clínicas de SP.

Segundo seus familiares, ele apresentou alguma melhora em seu estado de saúde, teria acordado e conseguido se comunicar. Já Claiton Antonio, de 17 anos, está entre as 7 vítimas fatais do atentado à escola. “Ele era incrível, aluno esforçado, respeitoso, dedicado”, disse Jaqueline, que ministrou aula para o estudante por cinco anos.

"Todos tinham famílias muito participativas, acho que mais aprendi do que ensinei. Meninos de luz, é uma honra fazer parte da história deles", disse Jaqueline.

No meio desta tragédia surgiu uma mulher que salvou muitas vidas, Cristina Silva de Moraes, de 54 anos, salvou cerca de 50 jovens que estavam se alimentando no momento que iniciou a ação dos assassinos. Ela teria em conjunto com outras funcionárias colocado as crianças dentro da cozinha e mandou que ficassem deitadas no chão até que tivesse fim a ação dos atiradores.

Fizeram até uma barricada com freezeres, geladeira e mesas para se protegerem, e foi o suficiente para que a vida de aproximadamente 50 jovens fosse poupada.

Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Escola
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!