Depois de vários “tropeços” na área da Educação, Jair Bolsonaro (PSL) fez uma sinalização que irá retirar o ministro da educação, Ricardo Vélez do Ministério. O presidente disse que a situação do Ministério só vai ser resolvida na segunda-feira (8) por ele mesmo. Neste ínterim, o escritor e filósofo, Olavo de Carvalho, fez duras criticas ao ministro da Educação. Em sua conta do Facebook na tarde da última sexta-feira (5), Olavo chegou a chamar Vélez de “traiçoeiro”.

Publicidade
Publicidade

As criticas de Olavo de Carvalho

Considerado o “guru” intelectual do Governo Bolsonaro, Olavo de Carvalho vem fazendo bastante criticas na ala militar, e muito “barulho” contra as politicas que considera prejudiciais ao próprio presidente. Logo após ser anunciado que o presidente iria exonerar o ministro da educação, Olavo de Carvalho escreve seu parecer na rede social.

Segundo o filósofo, ele conheceu Vélez pelos seus livros sobre a história do pensamento geral do Brasil, que foram publicados há vinte anos atrás.

Publicidade

e nunca havia tomado o conhecimento das suas “obscenas” ideias “tucanadas” - em referência as ideias psdebistas – e “clintonadas” - em referência ao ex-presidente dos Estados Unidos Bill Clinton. Para terminar, disse que não fará nada contra ele, mas garante que não lamentará em nenhum momento se o ministro for colocado para fora do governo.

Essa publicação do filósofo Olavo de Carvalho vem reforçar as análises de comentaristas politicos do enfraquecimento da gestão de Ricardo Vélez no Ministério da Educação.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Jair Bolsonaro Governo

Algumas análises dizem que essa publicação é vista como mais um revés ao ministro, que vem assistindo várias demissões do ministério e conflitos com as alas dos militares, as alas técnicas e das próprias alas olavistas.

Não é a primeira publicação contra o ministro da educação que Olavo fez. No mês de março, publicou uma mensagem que continha até mesmo palavrões. Porém, o ministro foi levado a chefiar a pasta da educação graças a indicação do escritor e se distanciou, graças à demissão da ala olavista.

Além da possível demissão pelo presidente Bolsonaro anunciada em um café da manhã com jornalistas nesta sexta-feira (5), Vélez recebeu também mais uma recomendação do MPF (Ministério Público Federal) no Distrito Federal. Essa recomendação tem a ver de se abster de qualquer ato tomado contra a laicidade do Estado brasileiro, e também, contra a liberdade de professar escolha religiosa dos estudantes.

Publicidade

Essa recomendação foi uma resposta do Ministério Público à fracassada tentativa de filmar as crianças dizendo o slogan de campanha do então candidato Bolsonaro.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo