A deputada estadual Janaina Paschoal (PSL-SP) se posicionou contra as manifestações do próximo domingo, dia 26, em favor do Governo Bolsonaro. Pelo Twitter, ela falou que, se as ruas estiveram vazias, Bolsonaro perceberá que terá de parar de “fazer drama” para trabalhar.

Ela pediu em suas redes sociais para pararem as convocações, pois não tem sentido quem está no poder convocar manifestações. A deputada também afirmou que não ficou calada diante dos crimes da esquerda e que não ficará calada diante da irresponsabilidade da direita.

Janaina Paschoal recebeu em suas redes sociais pedidos para que grave vídeos e áudios para colaborar com as convocações para a manifestação. Diante disso, Janaina decidiu se posicionar em sua conta no Twitter e explicar o motivo pelo qual não vai ajudar. Para ela, o presidente não entendeu as regras democráticas e está "confundindo discussões democráticas com toma-lá-dá-cá".

A deputada considera sem cabimento que deputados aliados de Bolsonaro fujam da responsabilidade de convencerem os colegas da aprovação de medidas no Congresso e ficarem estimulando a população a gerar o caos.

A parlamentar afirma que, quem está colocando o governo em risco é ele (presidente), os seus filhos e assessores que o cercam.

No Twitter, o deputado federal Eduardo Bolsonaro, filho do presidente, postou nas redes sociais que as manifestações são algo democrático.

Janaina Paschoal e MBL contra as manifestações

O Movimento Brasil Livre também se manifestou contra as manifestações marcadas para o dia 26.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Jair Bolsonaro Governo

Por meio de nota, o movimentou declarou que não participará dos atos. Nas redes sociais, o movimento esclareceu os boatos que surgiram de que eles estavam apoiando a manifestação do próximo domingo (26). Logo após a declaração, a hashtag #MBLTraidoresdaPatria estava entre os assuntos mais comentados no Twitter

O MBL considera que essa movimentação nas redes sociais convocando para as manifestações é estranha. Em nota, o movimento afirma que não compartilha tais pautas "antirrepublicanas" e que "pelo bem das reformas e do país" ficarão de fora deste ato.

Escolhido por Deus

O presidente divulgou em suas redes sociais um vídeo em que um pastor declarou neste domingo (19) que ele (Bolsonaro) “foi escolhido por Deus” para comandar o Brasil. O pastor também pede para que a população apoie o presidente Jair Bolsonaro e não faça oposição ao seu governo.

Em relação aos atos do próximo dia 26, o presidente vem postando nas redes sociais conteúdos semelhantes ao de domingo, nos quais ele não convoca diretamente a população para as manifestações, mas defende sua gestão.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo