Na tarde deste domingo (25), o humorista Marcelo Madureira foi repelido de um aparelho de som, depois de fazer uma declaração contrária ao Governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL-RJ). Segundo informações do jornal Folha de S.Paulo, durante o discurso que foi realizado em Copacabana, no Rio de Janeiro, o humorista fez críticas ao governo federal em relação à Medida Provisória (MP) — Contra o Abuso de Autoridade —, que foi aprovada pelo Senado Federal e prejudica as investigações de juízes e procuradores do Ministério Público Federal (MPF) contra parlamentares e demais envolvidos em esquemas de corrupção.

Em seu discurso, Madureira destacou que o ministro do Superior Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, está envolvido em uma suposta negociação para tentar impedir as investigações da operação Lava-Jato. Ainda de acordo com o seu discurso, Madureira disse que não tem receio de assuadas, ele também afirmou que votou no presidente e que vai criticar e cobrar o governo, quando isso for necessário.

A fala de Madureira teve que ser interrompida com inúmeras vaias após as suas declarações, Marcelo teve que ser escoltado por policiais militares que faziam a segurança no local. Logo em seguida ele pegou um táxi com destino a sua residência. Mais tarde, por meio do seu perfil no Twitter, o humorista postou outro comentário falando sobre as críticas que sofreu e advertiu sobre outras decisões tomadas erroneamente pelo governo de Bolsonaro, referindo-se a interferência do presidente nas escolhas para Superintendência da Polícia Federal e em relação à postura de Bolsonaro ao desmatamento da Amazônia.

Manifestações

Ainda de acordo com informações, as manifestações deste domingo contra a MP, contra o abuso de autoridade foram registradas em 19 estados, inclusive no Distrito Federal. Apesar do projeto de lei ser aprovado pelo Senado Federal, à medida ainda depende da aprovação do presidente da república.

Em meio às manifestações registradas na cidade de São Paulo, em ato de apoio à operação Lava Jato, os manifestantes usaram um boneco inflável do juiz Sérgio Moro, na ocasião, o boneco estava descrito com a seguinte mensagem: ''Mexeu como Moro; Mexeu com o povo brasileiro''.

De acordo com os organizadores, os protestos ocorreram em retaliação ao projeto de lei que poderá beneficiar os envolvidos em esquemas de corrupção.

A medida prevê a punição para investigadores, delegados, promotores, juízes, que praticarem o abuso de autoridade. O projeto de lei é alvo de grande polêmica. De um lado estão juízes e promotores que criticam o projeto com a argumentação de que terão as investigações prejudicadas e de outros representantes dos direitos humanos com a argumentação de que a MP vai evitar o abuso dos agentes, entretanto não punirá aqueles que agirem dentro da lei.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Lava Jato
Seguir
Siga a página Governo
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!