Presa por suspeita de assassinar a própria filha, Laryssa Yasmim Pires de Moraes deu depoimento à Polícia na última quinta-feira (13). Segundo as autoridades, a Mulher de 21 anos contou como assassinou a criança de apenas dois anos a facadas. Segundo ela, o assassinato aconteceu na cozinha do apartamento onde ela, o ex- marido e a filha moravam na Colônia Agrícola Samambaia, em Vicente Pires, no Distrito Federal.

Criança morreu na pia da cozinha

Segundo relato de Laryssa Yasmim à polícia, ela se levantou às 5h30, colocou o colchão do berço em cima da pia, depois colocou a menina de dois anos na bancada.

Segundo o delegado, ela primeiro tentou dar uma facada na menina, mas não conseguiu acertar. Nesse momento, a criança, assustada, teria começado a chorar, Larissa então tentou sufocar a criança com a mão. Nesse momento, ela teria fechado os olhos e acertado duas facadas na criança.

Ainda segundo informações do delegado, a primeira facada pegou no pescoço da criança, mas não perfurou. Em seguida, ela teria desferido mais dois golpes que perfuraram o tórax da criança. As investigações mostraram que a criança de dois anos foi brutalmente assassinada com uma faca de pesca.

Ataque ao marido

Ainda segundoa polícia, depois de Laryssa assassinar a filha, ela se dirigiu ao quarto em que o pai da criança estava dormindo e tentou matá-lo também. Nesse momento, o homem acordou e quando a mulher, mas acabou sendo ferido no rosto.

Depois que Gilvan, pai da criança, conseguiu tomar a faca de pesca da ex-companheira, ele se deparou com a filha morta e coberta de sangue na pia. Nesse momento, o homem teria ligado para o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência).

Enquanto ele estava ao telefone, Laryssa teria escondido o colchão e a faca que usou para matar a filha. Segundo o delegado, os itens foram encontrados na área de serviço quando eles chegaram ao local.

Crime sem motivo

A suspeita da polícia é que Laryssa matou a filha por não aceitar que tanto os avós maternos quanto os paternos estavam brigando na Justiça pela guarda da criança.

A polícia também suspeita que a mulher tenha dopado o ex-companheiro, já que todos vizinhos ouviram os gritos da criança, menos ele.

A mulher irá responder por homicídio duplamente qualificado, por não dar a possibilidade de defesa à vítima. Ela também vai ter que responder por lesão corporal contra o pai da criança.

Além disso, a mulher passou por um exame para ver se ela estava sob o uso de alguma substância. Laryssa e Gilvan apenas estavam vivendo na mesma casa, porque ela foi expulsa pela mãe e não tinha para onde ir, mas eles não estavam mais juntos.

Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Mulher
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!