Na madrugada desta terça-feira (18), a Polícia Civil efetuou a prisão do tio suspeito de violentar e engravidar a sobrinha de apenas 10 anos em São Mateus, no Espírito Santo. A prisão foi comunicada pela polícia em uma nota oficial e, de acordo com a divulgação, o suspeito estava na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Uma coletiva de imprensa será realizada para a divulgação de maiores informações sobre o caso, mas o horário ainda não foi definido.

Prisão

Ainda de acordo com a nota, o suspeito que foi encontrado na Região Metropolitana da capital mineira segue agora com a corporação para São Mateus.

Renato Casagrande (PSB), atual governador do Espírito Santo, divulgou no início desta manhã a prisão do homem em seu perfil oficial nas redes sociais, antes mesmo da divulgação da nota.

Declaração do governador

O governador Renato Casagrande postou em seu Twitter que a prisão deve servir de lição aos criminosos que insistem em praticar atos tão brutais, cruéis e inaceitáveis como a pedofilia. Ele informou também que todos os detalhes da operação policial serão revelados no decorrer desta terça-feira (18).

Realização do aborto

A menina, de apenas 10 anos, conseguiu autorização judicial para a realização de um aborto, porém, teve o pedido negado no Hospital Universitário Cassiano Antônio Moraes, com a justificativa de que a criança não se encaixava nos critérios estabelecidos pelo Ministério da Saúde.

A menina então precisou viajar para outro estado e realizou o procedimento no Recife, no Centro Integrado de Saúde Amaury de Medeiros, que acabou se tornando alvo de protestos e manifestações contra o procedimento legal, por parte de religiosos e ativistas de extrema-direita. Os manifestantes tiveram acesso ao endereço do hospital e a identidade da criança, após a extremista e ativista de direita Sara Winter divulgar os dados nas redes sociais.

O aborto foi realizado na noite do último domingo, e o final do procedimento foi realizado na segunda-feira, onde a vítima passou por um processo de curetagem. A menina passa bem e segue acompanhada de sua avó e aos cuidados de uma assistente social.

Suspeito

O homem suspeito de cometer o abuso contra a própria sobrinha estava em regime semiaberto desde 2017 por uma progressão na pena, desde então ele teria começado a abusar da criança, que na época tinha apenas 6 anos, e seguiu abusando até o momento.

A condenação anterior do homem no ano de 2011 foi por tráfico de drogas. Sua identidade ainda não foi revelada pelas autoridades.

Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Mulher
Seguir
Siga a página Maternidade
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!