O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) ainda não tem previsão de retorno ao atendimento presencial e, diante dessa situação, milhares de pessoas que precisam fazer a perícia médica estão totalmente desamparadas.

Apesar da convocação publicada pelo INSS para que médicos peritos voltassem ao trabalho, em muitos locais o atendimento ainda não foi retomado. De acordo com a convocação, os médicos que se recusarem a seguir essa orientação serão descontados na remuneração mensal. Mesmo diante dessa informação, a Associação Nacional dos Peritos (ANMP) não aceitou o retorno e ignorou tal convocação.

Agências do INSS

Segundo a associação que representa os médicos peritos, as agências do INSS ainda não estão preparadas para atendimento presencial por achar que o retorno seria muito arriscado. Disseram ainda que não há condições sanitárias contra a Covid-19 que garantam a retomada ao trabalho de maneira segura, alegação essa que foi contestada pelo Governo, ressaltando que seguiu todos os protocolos necessários para que o atendimento presencial seja realizado.

Com isso, milhares de segurados continuarão sem poder realizar perícias médicas tão necessárias e na maioria dos casos, extremamente urgentes.

População desassistida

Sem definição de quando os atendimentos serão retomados, a população sofre com a falta de informação e fica desassistida.

Desde o início da pandemia do novo coronavírus, as agências do INSS não realizam atendimento presencial e sem esse serviço, milhares de brasileiros não conseguem receber o auxílio.

Concessão antecipada

O governo permitiu a concessão antecipada dos benefícios como auxílio-doença e o BPC (pago a idosos e pessoas com deficiência de baixa renda), exigindo apenas que fosse apresentado o atestado ou outros documentos comprobatórios.

Embora essa medida tenha sido apresentada como facilitadora, na prática, a concessão não foi possível para mais de 600 mil contribuintes.

Na maioria dos casos, os contribuintes do INSS não conseguiram a antecipação do auxílio-doença justamente pela falta da perícia médica para quebrar a carência, por terem pouco tempo de contribuição.

Muitos apresentaram problemas no atestado.

A perícia médica é necessária para solicitação do auxílio-doença, mesmo nos casos em que a pessoa já conseguiu se recuperar.

Governo e INSS

O governo e a associação que representa os peritos, travam uma guerra onde quem mais se prejudica com esse embate, novamente é o povo brasileiro.

De acordo com o governo, foram realizadas consultas a organismos previdenciários de outros países para que fosse estabelecido o retorno seguro de todos os médicos. Foi feito o investimento na compra de equipamentos de proteção individual, e funcionários que fazem parte do grupo de risco não retornarão às atividades presencias, sendo mantidos em casa.

Apesar de três meses de trabalho e estudos para cumprimento de todos os protocolos, a Associação Nacional dos Peritos não considera que todas as exigências foram atendidas.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!