Após a aprovação do uso emergencial das vacinas CoronaVac e AstraZenaca no Brasil pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a enfermeira Mônica Calazans, 54, que trabalha na UTI do Instituto de Infectologia Emílio Ribas, em São Paulo, recebeu a primeira dose do imunizante neste domingo (17).

A paciente, que foi a primeira brasileira a ser vacinada, é negra e mora em Itaquera, na zona leste de São Paulo. O momento aconteceu no Hospital das Clínicas.

Mônica é uma das profissionais da saúde que atua diretamente no tratamento de pessoas infectadas pelo coronavírus há oito meses. Seu percurso até o trabalho leva cerca de 1h30 e ela faz isso quase todos os dias.

A enfermeira também faz parte do grupo de risco por ter peso acima do permitido para sua idade, e também tem problemas de hipertensão e diabetes, mas isso não foi um problema para ela que sempre teve o desejo de ajudar as pessoas.

Mônica decidiu se inscrever no CTD (Contrato por Tempo Determinado) e esperou surgir alguma vaga de emprego. Para sua alegria, surgiram várias vagas, já que na época o pico da pandemia estava no auge. Dentre as unidades que lhe foram disponibilizadas para escolher, ela preferiu trabalhar no Emílio Ribas.

Mônica já prestou serviço como auxiliar de enfermagem por 26 anos, e decidiu fazer uma faculdade na área aos 47 anos.

Poucos instantes antes de receber o imunizante Mônica, que viu seu irmão mais novo ser internado por conta do vírus, disse que não poderia deixar ser abatida pela situação, pois as pessoas precisam do seu serviço.

Para isso, ela disse que sempre mantêm pensamentos positivos e com a esperança de que tudo irá terminar bem. Outro fator que a faz seguir em frente em seu trabalho é a satisfação em ver as pessoas bem com a ajuda que recebem dela.

Neste momento, o governador de São Paulo João Doria estava presente e se emocionou junto à enfermeira, que recebia a primeira dose da vacina no Brasil.

Doria comemora a liberação das vacinas

A Anvisa liberou o uso emergencial de imunizantes no Brasil depois de uma longa reunião que aconteceu entre os diretores neste domingo (17). Doria estava na expectativa sobre qual seria o resultado final e comemorou quando ficou sabendo que as vacinas CoronaVac e AstraZeneca foram liberadas.

No Twitter ele disse que este domingo (17) ficou marcado na história da ciência, e que esta vitória é todos os brasileiros.

Em outro post ele comentou sobre a solicitação feita pelo Ministério da Saúde, e por meio de uma nota disse que todas as vacinas produzidas pelo Instituto Butantan serão controladas pelo Governo federal.

Doria disse que cedeu e acatou ao pedido, pois o importante no momento é que as vacinas cheguem até às pessoas.

Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!