Um homem foi preso após ter sido flagrado por policiais com 33 cilindros de oxigênio que estavam dentro de um caminhão. O caso aconteceu na última quinta-feira (14), em Manaus.

A situação se deu bem na época em que a capital amazonense anunciou que o sistema de saúde entrou em colapso por falta do gás que é vital para salvar a vida dos pacientes. Devido ao aumento no número de casos por coronavírus em Manaus, o uso de oxigênio aumentou de forma significativa, e o insumo acabou faltando para continuar tratando os demais pacientes.

Através de ligação anônima, a Polícia chegou até um caminhão suspeito que está sob a responsabilidade de um homem de 38 anos e que não teve sua identidade revelada.

Na denúncia constava que cilindros de oxigênio estavam sendo transferidos para carros particulares.

O homem suspeito segue detido, à disposição da Justiça até que tudo seja esclarecido.

O governo do estado do Amazonas informou que a crise enfrentada pelo sistema de saúde do estado sobre a falta de oxigênio se deu pela alta no número de internações por causa da Covid-19.

Foi informado pelo governo que nos meses de março e maio de 2019 o consumo de oxigênio era de no máximo 30 mil metros cúbicos por dia. Desta vez o consumo do gás está em 76 mil, um aumento de 150%.

Homem diz que ficou com medo de invasão

Sobre o número de cilindros que tinham oxigênio encontrados no caminhão, a polícia informou que 26 dos cilindros estavam abastecidos com o gás.

Em seu depoimento o suspeito disse que atua na área de fornecimento de oxigênio como empresário, mas devido à situação que se encontra a cidade, ele alegou que ficou com medo que as pessoas invadissem seu comércio em busca do insumo e, por isso, decidiu retirar os produtos do local.

A Justiça disse que os cilindros que foram apreendidos com o homem já foram distribuídos para as unidades de saúde de Manaus.

Ao todo, quatro hospitais foram reabastecidos com o insumo que foi dividido de acordo com a necessidade de cada lugar.

Na última quinta-feira (14) foi montada uma operação para escoltar uma carga com 150 cilindros de oxigênio que desembarcaram no Aeroporto Internacional Eduardo Gomes, em Manaus.

Foram usadas duas viaturas da Rocam, que ajudaram na proteção da carga que será distribuída pelo estado do Amazonas.

A cidade que recebeu o maior número de cilindros foi Manaus, lugar onde a situação é a mais grave até o momento.

Foram destinados cerca de 80 cilindros para atender aos pacientes que estão hospitalizados em unidades de saúde do interior do Amazonas.

O governo federal também se manifestou sobre o momento e disse que iria disponibilizar aeronaves para enviar cilindros para o estado.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!