Foi divulgado pelo Governo do estado de São Paulo a eficácia da vacina CoronaVac que vem sendo testada contra a Covid-19. Segundo a divulgação, o imunizante alcançou 78% de eficiência para casos leves nos resultados dos testes feitos no Brasil. O medicamento vem sendo produzido em parceria entre o instituto Butantan e a empresa chinesa Sinovac.

Outro ponto positivo sobre a vacina é que o medicamento livra os pacientes em 100% dos casos de evoluírem para graus mais graves da doença, ou seja, ser internado ou até mesmo morrer por conta do vírus.

O diretor do Instituto Butantan também comentou sobre o assunto e deu detalhes sobre os testes.

Dimas Covas disse que os pacientes que receberam o medicamento mantiveram o quadro da doença estável e não evoluiram para o grave. Ele ressaltou que a vacina protegeu em 100% as pessoas de progredir para casos graves. Covas falou também que as pessoas que fazem parte do grupo de risco ficaram protegidas do quadro grave e moderado da doença.

Participaram dos testes com a vacina cerca de 12.476 voluntários. Metade tomou a CoronaVac e outra metade placebo (quando o paciente pensa que tomou o remédio, mas na verdade foi aplicada outra coisa). Dos voluntários que receberam o imunizante, apenas 220 voltaram a contrair o vírus. Destes 220, 160 fazem parte do grupo que recebeu o placebo e 60 faziam parte do grupo que realmente foi vacinado.

De acordo com estas informações, pode se dizer que 78% da população que receber a CoronaVac ficará imune contra o coronavírus. A menor taxa exigida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) é de 50%.

Os estudos sobre a terceira fase serão publicados, trazendo mais detalhes sobre a eficiência da vacina e como é calculado.

Pazuello diz que o Brasil tem 354 milhões de vacinas para 2021

O governo fez um pronunciamento para dizer que tem reservadas 354 milhões de doses de vacinas que serão usadas contra a Covid-19. O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, disse também nesta última quarta-feira (6) que os municípios e estados têm seringas e agulhas para dar início à vacinação no Brasil.

Pazuello afirmou que estava muito triste com a morte das vítimas de coronavírus e se solidarizou com os familiares e amigos das pessoas que morreram em decorrência da Covid-19.

O governo estima que a soma total dos insumos que estão armazenados nos estados e municípios chegue a 60 milhões de unidades. O ministro disse também que chegarão mais 37 milhões dos equipamentos nos próximos meses.

O ministro afirmou que o governo pretende começar a vacinação neste mês de janeiro, mas não especificou a data para tal ação.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!