Durante uma live, que é realizada pelo presidente da República Jair Bolsonaro (sem partido) todas as quintas-feiras da semana, ele disse que a eficácia do imunizante que vem sendo usado em São Paulo está baixa. Bolsonaro estava falando da ConaVac que vem sendo produzida em parceria com a empresa chinesa Sinvac com o instituto Butantan, e que já está sendo usada em São Paulo.

A eficácia da vacina teve a data de divulgação adiada, o que fez com que Bolsonaro disparasse algumas críticas. No entanto, o Governo do estado diz que a resposta do imunizante contra o vírus está à altura do mínimo que é exigido.

"A eficácia daquela vacina de SP parece que está lá embaixo. Se eu errar 0,0001% vou apanhar da mídia, então não vou divulgar percentual", disse Bolsonaro.

O Instituto Butantan disse, na última quarta-feira (23), que o remédio atingiu mais de 50% no combate ao vírus em testes realizados no Brasil. Isto atende as normas de parâmetro da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e também da Organização Mundial da Saúde (OMS).

A Turquia também está usando a CoronaVac como imunizante no combate ao coronavírus e divulgou os resultados da eficácia do remédio que segundo o governo turco chegou a 91,25%.

A Sinovac chegou a afirmar que desejava divulgar o resultado da eficácia dos testes da vacina no Brasil após um balanço dos resultados de todos os países que vêm usando o imunizante e chegar a dominante único sobre as porcentagens de eficácia.

Por várias vezes, Bolsonaro e o governador de São de Paulo, João Doria, discutiram sobre o uso da vacina Coronavac no Brasil, mas o ministério da Saúde decidiu incluir o imunizante no programa de combate ao coronavírus.

O presidente disse durante a transmissão desta quinta-feira (24), que as vacinas que forem aceitas pela Anvisa serão adquiridas pelo governo, no entanto ele ressaltou que as empresas que fornecerem os imunizantes não ficarão isentas de responsabilidade sobre os efeitos colaterais que a vacina pode causar às pessoas.

Bolsonaro disse que parlamentares estão lhe pressionando para assinar uma MP se responsabilizando sobre os efeitos da que a vacina pode causar, no entanto ele disse que não quer carregar tal responsabilidade e afirmou que não assinará a MP.

Ele ainda disse que a vacina pode atingir o objetivo sobre para qual foi feita e também existe a possibilidade de não atingir, mas as pessoas que quiserem tomar estão livres para receberem o imunizante.

Bolsonaro chama Doria de 'calcinha apertada'

Bolsonaro também disparou alguns insultos contra João Doria durante a live. Sem citar diretamente o nome de Doria, Bolsonaro afirmou que ele agiu de forma irresponsável ao deixar a cidade de São Paulo “fechada” e tirar férias em Miami neste feriado de Natal. Bolsonaro disse que a atitude dele foi de alguém que usa “calcinha apertada” e classificou como crime. "Quero o cidadão de bem armado. Com o povo de bem armado, acaba essa brincadeirinha de “vai ficar todo mundo em casa que eu vou passear em Miami. Pelo amor de Deus. Oh… calcinha apertada! Isso não é coisa de homem", afirmou Bolsonaro.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!