Pela primeira vez na historia da China, cães e gatos foram excluídos da lista que determina quais Animais são comestíveis. A carne destes animais ainda é consumida por uma pequena parte da população chinesa. Agora, eles, sendo classificados como animais de estimação, passaram a ser tratados de uma forma especial para serem animais companheiros.

"No que diz respeito aos cães, tanto o progresso da civilização humana como a preocupação pública, além do amor pela proteção dos animais, eles passaram a ser tratados de forma especial para se tornarem animais companheiros. Além disso, internacionalmente não são considerados animais para consumo, e não serão regulamentados como animais para consumo na China", afirma o ministério chinês.

Festival da carne na China

O Festival de Yulin é uma celebração anual que é realizada em Yulin, Guangxi e China, durante o famoso solstício de verão em que as pessoas que o frequentam comem carne de cães e lichia.

Este festival que é mundialmente conhecido teve início em 2009, durante a duração de dez dias estima-se que mais de 13 mil cães são consumidos. O festival tem sido criticado por quase todo o mundo, principalmente, pelos defensores do bem-estar e dos direitos dos animais. As pessoas praticantes da popular medicina tradicional da China, acreditam que a carne de cães iria ajudar a afastar o forte calor sentido nos meses de verão, embora seja comemorado a muitos anos, o festival de Yulin ainda é recente.

Consumo de cães e gatos é proibido na China

O ministério de Agricultura da China emitiu um documento que é relacionado aos animais que são indicados para o consumo humano e reforçou que os caninos devem ser tirados da lista, assim como alguns outros animais domésticos. Toda essa preocupação vem das medidas tomadas no país após o início da pandemia da Covid-19, que no momento se encontra controlada na China.

Desde Janeiro deste ano, foi proibida a venda de animais silvestres, e além disso, mesmo com os comércios já voltando às suas atividades normais em Wuhan o lugar que foi epicentro da epidemia na China, a morte e a venda de animais vivos continua sendo proibida em todos os mercados da cidade.

Em um país onde em média são abatidos mais de 15 milhões de cães por ano, a medida foi recebida como um sinal de extrema importância para a sociedade.

O Governo da China explicou o porquê da mudança de um documento tão antigo e também citou a evolução da civilização.

Inicio da Covid-19 na China

Dentro de todas as hipóteses para o início da epidemia, a possibilidade de que tenha se originado na compra e no consumo de animais silvestres é extremamente grande. Alguns cientistas acreditam na possibilidade de que o vírus que causa a Covid-19 possa ter começado por causa de um simples morcego.

Siga a página Governo
Seguir
Siga a página Animais
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!