O surto da covid-19 está afetando muitas pessoas, inclusive entes religiosos. Um pastor de uma igreja evangélica nos Estados Unidos acabou sendo mais uma vítima do vírus que já matou mais de 23.649 pessoas e teve 587.337 casos foram confirmados só nos Estados Unidos, de acordo com informações da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Gerald Glenn, pastor que morreu em decorrência da covid-19, ficou bastante famoso nesse período de quarentena após dizer que as igrejas evangélicas não poderiam fechar em meio à quarentena decretada por autoridades governamentais locais. O religioso ainda atestou que iria continuar pregando para seus fiéis, a menos que estivesse "na prisão ou no hospital".

O pastor comandava a igreja New Deliverance, em Richmond, na Virgínia.

Mesmo no período de pandemia, o pastor incentivava os fiéis a irem aos cultos, mas pela grande quantidade de mortes provenientes do vírus, muitos membros deixaram de frequentar, tendo em vista que o vírus continua vitimando milhares de pessoas todos os dias nos Estados Unidos.

Pastor no Brasil

O pastor Silas Malafaia acabou recebendo uma notificação da Justiça, a qual atestava que o líder religioso não poderia abrir as igrejas nesse período de proliferação da covid-19. Mesmo o Ministério da Saúde coibindo aglomerações, o pastor continuava a realizar os cultos. De acordo com informações, se o fiel descumprir novamente as medidas impostas pela Justiça, poderá ser penalizado com multas ou até mesmo com prisões.

Diante dessa restrição, Silas Malafaia não se pronunciou sobre o caso. Recentemente, o pastor gerou uma nova polêmica após atacar imprensa. “Esses profetas do caos vão ficar envergonhados. Nenhuma previsão catastrófica acontecerá no Brasil, e eu declaro na autoridade do nome de Jesus'', argumentou Silas Malafaia durante uma transmissão ao vivo pela TV Brasil, onde milhares de fiéis acompanhavam.

Pelas redes sociais, muitos apoiadores do pastor concordam com as críticas feitas por ele. Por outro lado, algumas pessoas criticaram a atitude do líder religioso em se posicionar contra a imprensa.

Covid-19

De acordo com as últimas informações cedidas pelo Ministério da Saúde, o Brasil registrou 1.328 mortes e 23.430 casos confirmados.

O atual ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, informa diariamente, pelas suas redes sociais, os problemas envolvendo o vírus, mas não deu uma previsão de quanto tempo essa doença continuará afetando milhares de brasileiros.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Saúde
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!