O cargo de ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) foi ocupado pelo general Augusto Heleno, na quarta feira, dia 2 deste mês, em cerimônia realizada na capital federal. Em seu discurso de posse, o militar afirmou que o sistema de inteligência do país foi "derretido" pela ex-presidente Dilma Rousseff. A assessoria da petista, por sua vez, disse que ela não irá comentar as declarações de Heleno.

O novo ministro do GSI comentou também que a ex-presidente não acreditava no sistema de inteligência, anulando sua existência no Governo, porém, no governo de Michel Temer o general Etchegoyen recuperou o programa, pois era o responsável pelo ministério do GSI.

Publicidade

Enquanto comentava em seu breve discurso em pleno Salão Nobre no Palácio do Planalto dizia-se com esperança de encontrar um trabalho duro conduzido pelo destino. Enfatizava com sua fala o novo ministro que faz parte dos principais homens de confiança do presidente da República, Jair Bolsonaro.

O GSI é responsável em comandar a Agência Brasileira de Inteligência (Abin), que tem o compromisso de gerar informações sobre segurança para o presidente da República, como também para as pessoas responsáveis em realizar análises estratégicas em relação à segurança do país.

Declaração dos ministros em cerimônia de posse do cargo

O general e ex-ministro do GSI, Sérgio Etchegoyen, discursou sobre os trabalhos realizados durante gestão no período do governo Temer. “Dentro de um governo denominado pela crise, [o governo] resistiu com coragem”, comentou o ex-ministro.

Nesta quarta, dia 3, foi investido na posse novo Ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gustavo Bebiano, e espera que o liberalismo econômico, pela primeira vez, seja implantado, em favor do povo brasileiro.

Publicidade

Ainda em discurso, salientou a convicção no trabalho de Paulo Guedes, ministro da Economia.

General da reserva Santos Cruz, novo Ministro da Secretaria de Governo, discursou informando que o ponto de relacionamento com a Presidência da República continuará sendo a pasta do governo Jair Bolsonaro. De acordo com o novo ministro, não haverá restrição em seu ministério atendendo todos segmentos na realização do seu trabalho, inclusive o atendimento a movimentos sociais.

Além dos citados, também recebeu o cargo de Ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni.