Nesta última terça-feira, 9 de abril, o Partido dos Trabalhadores (PT) divulgou um bilhete escrito pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em tom de ironia ao ministro da Economia, Paulo Guedes. O bilhete de Lula foi destinado ao deputado Zeca Dirceu (PT-PR), que se envolveu em confusão com Guedes durante debate na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) promovido na semana passada na Câmara dos Deputados.

Na ocasião, Guedes foi chamado de "tchutchuca" e "tigrão" pelo deputado.

Lula agradeceu Zeca Dirceu por ter comparado Guedes como uma "tchutchuca" e um "tigrão". O petista parabenizou Dirceu, completando: "Eu fiquei tão orgulhoso de você, que vou aprender a Música da 'tchutchuca e o tigrão'". Além do mais, disse na carta que Guedes seria "o destruidor dos pobres". O texto na íntegra foi publicado na rede social oficial do PT no Twitter.

O petista também declarou que ficou muito orgulhoso da bancada do PT na comissão e ressaltou que tiveram um "papel extraordinário no debate sobre a Previdência".

Confusão entre Zeca Dirceu e Paulo Guedes

No último dia 3 de abril, durante sessão da CCJ, Guedes foi surpreendido por falas de Dirceu.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Lula Governo

O deputado disse que o ministro da Economia agia como uma "tchutchuca" perante os empresários e banqueiros e um "tigrão" com os aposentados e a classe menos favorecida.

Em resposta, Guedes disse: "tchutchuca é sua mãe e a sua avó". Ele ainda sinalizou que não havia ido conversar com os deputados para ser desrespeitado. O clima ficou tenso e a sessão rapidamente foi encerrada pelo presidente da CCJ, o deputado Felipe Francischini (PSL-PR).

Zeca Dirceu é filho de José Dirceu, também condenado pelas investigações da Operação Lava Jato juntamento com o ex-presidente Lula.

Reforma da Previdência

A oposição se prepara para votar contrariamente a reforma da Previdência. A fim de enfrentar o Governo, partidos opositores apresentarão um relatório alternativo ao do relator da reforma na CCJ, o deputado Marcelo Freitas (PSL-MG). Nesta terça-feira (9), Freitas entregará um parecer recomendando o texto de Jair Bolsonaro em prol da aprovação da Reforma na Comissão da Câmara.

Segundo informações do jornal Folha de S.Paulo, Marcelo Freitas está confiante que a PEC (Proposta de Emenda à Constituição) será aprovada.

Ele acredita que ocorrerá com cerca de 40 votos ou mais. Freitas disse que se a Comissão fosse técnica seria muito mais fácil a aprovação. No entanto, há embates políticos por trás que atrasam o processo.

O relator da reforma também disse que acha normal a oposição reagir, porém ele confia na articulação política do governo para que a PEC seja então aprovada e a reforma da Previdência avance para mais uma etapa.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo