Nesse último sábado (4), o ministro da Secretaria de Governo, general Santos Cruz, respondeu as críticas que o escritor Olavo de Carvalho fez no seu Twitter. Em entrevista ao site Poder360, o militar reformado chamou o escritor de "um desocupado e esquizofrênico". Essa fala do ministro é uma resposta as críticas que Olavo vem postando no seu Twitter, onde diz, que Santos Cruz era um fofoqueiro e que difama as pessoas por trás. O general da reserva ainda disse que não leu nenhuma obra de Olavo.

Nos últimos tempos, a ala militar vem sendo um alvo frequente do filósofo e, principalmente, o ministro Santos Cruz e o vice-presidente, Hamilton Mourão (PRTB).

Na sexta-feira (2), Olavo e Carvalho escreveu muitas frases com várias criticas a essa ala do Governo, chamando a parte mais ociosa do governo. Olavo dúvida, em suas postagens, que os militares são os “santos heróis” que tentam passar.

No mês de abril, o escritor já havia criticado o ministro Santos Cruz, afirmando que ele nunca fez nada para parar a hegemonia “comunopetista”. Ainda, segundo Olavo, ele ganhou seu cargo por meio de uma “luta” que não deu nenhuma ajuda e, Santos Cruz, não sane de onde veio e para onde vai

Olavo de Carvalho e o governo Bolsonaro

Não é de hoje que o filósofo está insatisfeito com o governo. No começo de março Olavo já tinha publicado criticas a ala dos militares. Segundo o escritor, o atual governo está cheio de “inimigos” do presidente Jair Bolsonaro (PSL) e esses inimigos também são do povo brasileiro.

Carvalho ainda disse que andar em companhia deles, só seria bom para quem pensasse igual a eles. Também afirmou que não gostaria de ver seus alunos tendo as suas vidas destruídas por ajudar os militares covardes.

O escritor seguiu dizendo que o maior sonho dessa ala do governo Bolsonaro é “tucanizar” –em referência ao PSDB, que o filósofo chama de socialistas fabianos– para agradar a grande mídia.

Os generais da reserva, Santos Cruz e o vice-presidente, Hamilton Mourão (PRTB), são dois alvos preferidos do escritor no seu Twitter. Em abril (22), o vice-presidente Mourão disse que o Olavo de Carvalho deveria se limitar no que faz bem, trabalhar em astrologia.

Porém, o porta-voz da Presidência, Otávio Rêgo Barros, leu uma nota do presidente Bolsonaro, no dia 22 de abril, sobre as críticas do escritor.

Segundo a nota, Olavo de Carvalho tem um papel muito importante nas exposições das ideias conservadoras que são um outro ponto a mensagem que dominavam o discurso anacrônico da esquerda. No entanto, nas suas últimas críticas as pessoas que trabalham dentro do governo, não estão contribuindo para uma construção de uma união. Também, segundo a nota, as críticas de Olavo vão contra o projeto do governo de visar cada vez mais, o bem-estar da sociedade brasileira. O governo também visa, segundo leu Rêgo Barros, o surgimento do país no cenário mundial.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!