Nesta quinta-feira (18), o presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), usou as redes sociais para reafirmar a indicação de um de seus filhos, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), para o cargo de embaixador nos Estados Unidos.

O anúncio do presidente foi feito durante uma transmissão ao vivo no Facebook. Segundo a fala de Bolsonaro, Eduardo só não irá representar o Brasil nos EUA caso não queira ou se o Senado não aprovar a sua indicação.

Durante sua fala, Bolsonaro afirmou: "pretendo beneficiar filho meu, sim. Pretendo, está certo. Se puder dar um filé mignon ao meu filho, eu dou.

Mas não tem nada a ver com filé mignon essa história aí. É aprofundar um relacionamento com um país que é a maior potência econômica e militar do mundo".

Bolsonaro defende Eduardo

Após as críticas suscitadas com a possível indicação de Eduardo à embaixada, Bolsonaro afirmou que se ele estava sendo tão criticado seria a pessoa "adequada" a ocupar o cargo. Esta afirmação foi feita por Bolsonaro na última segunda-feira (15), durante a comemoração do aniversário do Comando de Operações Especiais do Exército. Desde a semana passada que este assunto tem sido uma das pautas mais comentadas dentro e fora do Governo.

O presidente saiu mais uma vez em defesa de Eduardo Bolsonaro. Segundo o presidente, se ele pudesse, colocaria seu filho para ocupar o lugar de Ernesto Araújo, que atualmente é o ministro das Relações Exteriores, e enviaria o ministro para a embaixada nos EUA.

"O Ernesto vai para Washington, que eu vou botar o Eduardo no Ministério da Relações Exteriores”, disse Bolsonaro.

Durante esta quinta-feira, o presidente chegou a comentar três vezes publicamente sobre a indicação de seu filho. Em uma das manifestações do presidente sobre o assunto, ele falou que o cargo de embaixador seria como um “cartão de visitas”.

Ele disse ainda que a Venezuela precisa retornar ao estado de normalidade e que o Brasil precisa ajudar a Venezuela. Ele ressaltou que a preocupação maior seria evitar que demais países entrem na mesma situação que a Venezuela.

Presidente fala sobre a entrada do Brasil na OCDE

De acordo com Bolsonaro, faltam apenas "poucos detalhes" para que o Brasil entre na Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

Ele afirmou ainda que os 34 países-membros da OCDE estão de acordo com a entrada do Brasil na organização.

O presidente aproveitou para relembrar que Donald Trump, presidente dos Estados Unidos, havia também demostrado apoio em relação ao ingresso do Brasil na OCDE.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!