Nesta quinta-feira (18), o presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), usou as redes sociais para reafirmar a indicação de um de seus filhos, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), para o cargo de embaixador nos Estados Unidos.

O anúncio do presidente foi feito durante uma transmissão ao vivo no Facebook. Segundo a fala de Bolsonaro, Eduardo só não irá representar o Brasil nos EUA caso não queira ou se o Senado não aprovar a sua indicação.

Durante sua fala, Bolsonaro afirmou: "pretendo beneficiar filho meu, sim. Pretendo, está certo. Se puder dar um filé mignon ao meu filho, eu dou. Mas não tem nada a ver com filé mignon essa história aí. É aprofundar um relacionamento com um país que é a maior potência econômica e militar do mundo".

Bolsonaro defende Eduardo

Após as críticas suscitadas com a possível indicação de Eduardo à embaixada, Bolsonaro afirmou que se ele estava sendo tão criticado seria a pessoa "adequada" a ocupar o cargo.

Esta afirmação foi feita por Bolsonaro na última segunda-feira (15), durante a comemoração do aniversário do Comando de Operações Especiais do Exército. Desde a semana passada que este assunto tem sido uma das pautas mais comentadas dentro e fora do Governo.

O presidente saiu mais uma vez em defesa de Eduardo Bolsonaro. Segundo o presidente, se ele pudesse, colocaria seu filho para ocupar o lugar de Ernesto Araújo, que atualmente é o ministro das Relações Exteriores, e enviaria o ministro para a embaixada nos EUA.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Jair Bolsonaro Governo

"O Ernesto vai para Washington, que eu vou botar o Eduardo no Ministério da Relações Exteriores”, disse Bolsonaro.

Durante esta quinta-feira, o presidente chegou a comentar três vezes publicamente sobre a indicação de seu filho. Em uma das manifestações do presidente sobre o assunto, ele falou que o cargo de embaixador seria como um “cartão de visitas”. Ele disse ainda que a Venezuela precisa retornar ao estado de normalidade e que o Brasil precisa ajudar a Venezuela. Ele ressaltou que a preocupação maior seria evitar que demais países entrem na mesma situação que a Venezuela.

Presidente fala sobre a entrada do Brasil na OCDE

De acordo com Bolsonaro, faltam apenas "poucos detalhes" para que o Brasil entre na Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). Ele afirmou ainda que os 34 países-membros da OCDE estão de acordo com a entrada do Brasil na organização.

O presidente aproveitou para relembrar que Donald Trump, presidente dos Estados Unidos, havia também demostrado apoio em relação ao ingresso do Brasil na OCDE.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo