Nesta terça-feira (27), o presidente Jair Bolsonaro (PSL) respondeu aos questionamentos acerca da ajuda internacional anunciada na segunda-feira (26) pelo presidente francês, Emmanuel Macron.

O valor anunciado pelo presidente da França corresponde a cerca de R$ 91 milhões e foi aprovado pelos países que compõem o G7, com o intuito de ajudar no combate às queimadas da Amazônia.

Segundo o portal G1, Bolsonaro disse que em momento algum havia dito que negaria a ajuda do G7, entretanto, ele estabeleceu condições para que possa avaliar a proposta feita, pois, segundo ele, Macron o insultou chamando-o de "mentiroso" e ofendeu a população brasileira ao comentar a respeito da definição de um "status internacional da Amazônia".

"Primeiramente, o senhor Macron deve retirar os insultos que fez à minha pessoa. Primeiro, me chamou de mentiroso. E depois, informações que eu tive, de que a nossa soberania está em aberto na Amazônia", disse Bolsonaro. "Para conversar ou aceitar qualquer coisa da França, que seja das melhores intenções possíveis, ele vai ter que retirar essas palavras e daí a gente pode conversar", completou.

Bolsonaro rebate post de Macron sobre Amazônia

Bolsonaro e Macron têm trocado algumas declarações polêmicas publicamente e nas redes sociais, e o clima entre eles não tem sido dos melhores.

Após o presidente francês ter publicado um post acerca da situação da Amazônia, Bolsonaro não viu com “bons olhos” e rebateu.

Na publicação, Macron havia compartilhado uma foto antiga, de um fotografo que havia morrido em 2003, nos EUA, e Bolsonaro aproveitou para criticar a atitude dele. Além da foto, Macron pediu urgência ao G7 para que se reunisse para debater a respeito da situação crítica da Amazônia e chamou de crise internacional: "nossa casa queima.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Jair Bolsonaro Governo

Literalmente. A Amazônia, o pulmão de nosso planeta, que produz 20% de nosso oxigênio, arde em chamas. É uma crise internacional".

Em contrapartida, Bolsonaro disse que Macron tinha "mentalidade colonialista" e criticou o "tom sensacionalist" utilizado por ele: "lamento que o presidente Macron busque instrumentalizar uma questão interna do Brasil e de outros países p/ ganhos políticos pessoais".

Bolsonaro comenta post sobre esposa de Macron

A tensão entre Bolsonaro e o líder francês aumentou ainda mais após Bolsonaro ter comentado uma publicação feita por um seguidor seu, no Facebook, acerca da mulher de Macron.

Na publicação, o seguidor fez uma montagem na qual comparava as fotos da esposa de Macron com a de Michelle Bolsonaro, e na legenda escreveu que aquilo justificava o fato do presidente francês está "perseguindo" Bolsonaro: "agora entende por que Macron persegue Bolsonaro?. Em resposta à montagem, o presidente brasileiro escreveu: "não humilha cara. Kkkkkkk".

Segundo o G1, ao ser questionado a respeito dessa situação, Bolsonaro se irritou e respondeu que havia comentado pedindo para que o seguidor não falasse "besteira".

"[No] meu comentário eu falava para não insistir neste tipo de postagem", disse. Em relação aos "kkkkkk", Bolsonaro encerrou a conversa com jornalistas e não respondeu: "tchau para vocês. ... Realmente, vocês não merecem a consideração".

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo