Na última terça-feira (30) o ator Thiago Lacerda, 41, publicou em uma rede social críticas ao presidente Jair Bolsonaro (PSL). Nesta postagem, o ator global comparou Bolsonaro a Adolf Hitler.

O ator postou em seu Instagram uma montagem de duas imagens, numa delas está o ditador alemão Adolf Hitler cortando o cabelo, na outra está o Bolsonaro também cortando o cabelo. Na mesma publicação há outras imagens com manchetes relacionadas às últimas declarações feitas pelo presidente.

Na legenda o ator escreveu: "não à toa os signos da semelhança. Sucesso de declarações criminosas! Vergonha e Nojo Máximo!”

O ator publica com frequência em suas redes sociais críticas ao Governo de Jair Bolsonaro. Ele também usa o perfil para cobrar respostas das autoridades sobre o assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL). Atualmente, Thiago Lacerda está fora do ar. Seu último trabalho foi a novela "Orgulho e Paixão", na Globo, em 2018.

Declarações de Bolsonaro

Nesta semana Bolsonaro atacou o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Felipe Santa Cruz. O presidente usou o pai de Felipe, desaparecido desde a ditadura militar e cujo corpo nunca foi encontrado, para atingi-lo.

O pai de Felipe desapareceu em fevereiro de 1974. Fernando Santa Cruz era estudante de direito. Em entrevista ao colunista Guilherme Amado, da revista Época, Santa Cruz declarou que chorou ao ver frases de Bolsonaro, em razão de ser sempre muito difícil falar sobre o desaparecimento do pai.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Famosos Jair Bolsonaro

Antes, o presidente fez outras declarações que causaram espanto, como ao falar que no nosso país não havia fome e ao chamar os governadores nordestinos de “paraíbas”.

Presidente deve explicações

Devido à recente declaração, o ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), interpelou Bolsonaro para explicar sobre o pai de Felipe Santa Cruz. Bolsonaro tem 15 dias para responder. A decisão foi um pedido de Felipe, que se sentiu ofendido com as declarações do presidente.

A afirmação do presidente poderia ser caracterizar como crime de calúnia a memória do pai de Santa Cruz.

Na última segunda-feira (29) o presidente disse que poderia explicar para Felipe como o pai dele desapareceu na ditadura militar.

Em uma live no Facebook, enquanto cortava o cabelo, o presidente voltou a falar no assunto, e disse que Fernando Santa Cruz foi morto por integrantes da AP (Ação Popular), grupo de oposição à ditadura militar.

No entanto, a declaração de Bolsonaro não bate com os documentos oficiais que dizem que Fernando foi preso por agentes do Estado e desapareceu.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo