Lula concedeu uma entrevista nesta quarta-feira (15) à 'TV dos Trabalhadores', ao veículo da Rede TVT. Nela o ex-presidente falou sobre questões relacionadas à política em geral e sua vida fora dela. O que acabou chamando atenção de muitos foi quando ele começou a falar sobre questões pertinentes à religião, essencialmente as cristãs neste caso a evangélica e a católica, principalmente a evangélica, já que de acordo com as declarações do próprio Luiz Inácio Lula da Silva há a necessidade de um diálogo com o meio 'protestante' por parte do PT, o Partido dos Trabalhadores.

A TVT por sua vez ainda tem vínculo com o partido influenciado por Lula, o PT.

"Eu acho que tem um espaço pra discutir religião nesse país muito grande. Eu quero entrar nessa. Eu tenho até um jeitão de ser pastor, tenho um jeitão, tô de cabelo branco... [...]", declarou Lula ao veículo, apontando também de maneira jocosa a possibilidade de ser padre, sob uma 'condição': o fim do celibato -- "Eu posso ser pastor ou pode ser padre, é só a igreja acabar com o celibato que eu topo".

Lula retoma aceno ao PT para que se aproxime dos evangélicos

Não é de agora o interesse de Lula para com os evangélicos, em momentos anteriores o ex-presidente já manifestou querer que o PT tivesse aproximação maior com o meio, apesar da resistência. Desta vez o político deseja a retomada do diálogo com os mesmos por intermédio do Partidos dos Trabalhadores (PT), não obstante, o tal interesse se deve ao fato da ocasião das eleições que ainda estão por vir.

A ideia seria ganhar apoio dos evangélicos, principalmente daqueles que já votaram no partido do PT.

Segmento evangélico e sua lealdade a Jair Bolsonaro

Politicamente falando, o segmento evangélico foi uma dos mais leais a Jair Bolsonaro (atualmente está sem parido), Lula por outro lado apoiou Haddad opositor de Jair por ocasião das eleições presidenciais.

Prova da lealdade do segmento para com o capitão reformado foi o apoio declarado das lideranças de Edir Macedo, Silas Malafaia, Valdomiro, R.R Soares, dentre outros, inclusive do próprio sobrinho do líder da Igreja Universal, Marcelo Crivella, então prefeito do Estado do Rio de Janeiro.

De acordo com fontes, o que consta é que os únicos citados por Lula foram o líder da IURD e seu sobrinho, o prefeito do Rio de Janeiro.

Lula fala sobre Edir Macedo e Marcelo Crivella

Sobre Macedo e Crivella, o ex-presidente notou ter queixa dos mesmos. O portal do Congresso discorreu a fala: "Eu quero que você vá perguntar pro seu Edir Macedo, pro seu Crivella quem é que tratou eles melhor [...]", intimou.

Dada esta fala sobre as personalidades, o político arremeteu ser o ele o que mais os tratou com respeito e decência.

Críticas a ministro e ao presidente do Brasil

Opositor exposto de Bolsonaro, Lula voltou a criticar seu Ministro da Economia, o economista Paulo Guedes, "Ele só fala em vender", retrucou.

Ele também não poupou críticas à reforma trabalhista.

De acordo com o ex-presidente, Bolsonaro está minando a imagem do Brasil, se mostrando inconformado à continência de Jair Bolsonaro a Donald Trump, fazendo pouco da situação, nesta parte no entanto ele não citou os nomes nem do presidente do Brasil e nem dos Estados Unidos.

Portal replica Lula

O portal 'Guiame' replicou as falas do ex-presidente e apontou que ser um pastor vai muito além de apenas ter 'jeitão', explicando que os textos que se referem a Pastor falam de um chamado espiritual.

A fonte do 'Guiame' foi além citando versos da bíblia como por exemplo Mateus 20: 25-28, que fala que Jesus Cristo veio para servir e não ser servido, João 10:11-13 que cita que Jesus é um bom Pastor e não um mercenário e 1 Timóteo que trata do episcopado.

Siga a página Lula
Seguir
Siga a página PT
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!