Em seu pronunciamento em rede nacional nesta terça-feira (24), Jair Bolsonaro voltou a categorizar o coronavírus como uma 'gripezinha', citando indiretamente o médico Drauzio Varella, que trabalha para Rede Globo. O pronunciamento do presidente foi bastante duro contra a imprensa, a qual acusou de espalhar histeria e medo para toda população brasileira. Jair Bolsonaro também criticou prefeitos e governadores que adotaram ações duras contra a pandemia do coronavírus, como fechamento do comércio, suspensão do transporte público e isolamento social da população.

Jair Bolsonaro clamou aos prefeitos do Brasil a deixarem este sentimento de "terra arrasada" e incentivou que a população saia do isolamento social, voltando à normalidade, porém protegendo os grupos de risco.

Repercussão negativa e positiva sobre o pronunciamento

As redes sociais acabaram se tornando um termômetro do ambiente político, com manifestações contra ou favor de algo. No Twitter, por exemplo, hashtags estiveram nos trending topics defendendo a saída do Jair Bolsonaro, como também lhe dando a razão no pronunciamento.

Deputado Federal David Miranda (PSOL-RJ), publicou tuítes defendendo o impeachment do presidente, além de promover um abaixo-assinado virtual, onde o mesmo afirma passar dos 500 mil apoios.

O senador Flávio Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro, afirmou que manter o isolamento social vai causar 40 milhões de desempregados, endossando a posição do governo pela volta à normalidade.

Presidente do senado, Davi Alcolumbre, criticou o posicionamento de Bolsonaro, reafirmando que não é momento de atacar à imprensa, muito menos os gestores das outras esferas da federação.

"A Nação espera do líder do Executivo, mais do que nunca, transparência, seriedade e responsabilidade", afirmou Alcolumbre.

Presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, também se posicionou em seu Twitter, dizendo que o pronunciamento do presidente foi equivocado ao atacar a imprensa e os gestores dos governos estaduais e municipais.

Afirmou que desde o início vem pedindo sensatez, equilíbrio e união.

STF garante ações dos prefeitos e governadores

O Partido Democrático Trabalhista (PDT), legenda do ex-presidenciável Ciro Gomes, entrou com uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF), pela derrubada da medida provisória 926, garantindo assim a autonomia dos prefeitos e governadores sobre decisões que interferem sobre o mercado e circulação da população.

Sendo assim, as ações dos prefeitos e governadores, possuem total legitimidade nas suas decisões. A medida favorece o grande aliado de Ciro Gomes, o governador cearense Camilo Santana, que foi um dos primeiros a adotar o isolamento da população, suspensão das atividades econômicas e barreira sanitária nas divisas.

Não perca a nossa página no Facebook!