Em um novo pronunciamento em rede nacional de rádio e TV, na noite desta quarta-feira (8), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a falar sobre os problemas envolvendo a proliferação do novo coronavírus e a questionar a paralisação das atividades profissionais.

Bolsonaro disse ter "certeza que a grande maioria" quer voltar a trabalhar e que essa é a orientação dada a todos os ministros, "observadas as normas do Ministério da Saúde". Mesmo com empenho em retomar os trabalhos, muitas pessoas ainda estão receosas, pois o vírus ainda causa diversas mortes no país.

De acordo com o último levantamento, o Brasil já registra 822 mortes e 16.195 casos confirmados.

Manifestações

Após Bolsonaro declarar desde os primeiros pronunciamentos a respeito da retomada de parte das atividades profissionais no país, muitas pessoas estão se manifestando sobre o posicionamento do presidente. Pelo fato da quarentena manter todo mundo dentro de casa, algumas pessoas improvisaram e se manifestam contra o presidente através de panelaços.

Em diversas partes do país, brasileiros registram indignação com o atual governo, onde alguns pegam panelas e começam a bater com intuito de fazer barulho e chamar atenção de outras pessoas referente o caso. Enquanto existem pessoas que se manifestam contra a conduta do chefe do Executivo, apoiadores de Bolsonaro usam a rede social para se posicionar a favor do presidente.

Coronavírus

Em relação à pandemia do vírus, muitos presidentes estão tomando atitudes extremas para coibir o avanço da doença. Tendo como exemplo os Estados Unidos, onde o atual presidente, Donald Trump, afirmou que nesse período de paralisação nenhum voo internacional será permitido.

Além disso, o republicano declarou que as fronteiras também estão fechadas.

Essas e outras medidas estão sendo tomadas para que o coronavírus não mate outras pessoas, tendo em vista que o país registra cerca de 14.762 mortes e 434.114 casos confirmados.

O Brasil também está tomando atitudes em relação o vírus. Por ordens governamentais, muitos comércios estão de portas fechadas, para que os trabalhadores e clientes não fiquem vulneráveis.

Os comerciantes que descumprirem a medida de quarentena poderão ser punidos através de multas e até mesmo com prisões. Apesar dos informes, muitas lojas seguem abertas.

Período da quarentena

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, informou que ainda não existe um prazo para o término da quarentena no Brasil, tendo em vista que ainda não foi elaborado medicamentos para prevenir ou até mesmo curar as pessoas com o contágio do coronavírus. Por isso, ele aconselha que as pessoas permaneçam em casa até que a situação seja amenizada.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!