Uma polêmica surgiu após o prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), autorizar que novas covas fossem criadas nesse momento de pandemia da covid-19. O jornal americano The Washington Post, destacou as covas abertas, dando ênfase que isso poderia servir para enterrar os vitimados da covid-19.

Diante dessa polêmica, Bruno Covas se pronunciou sobre a respectiva polêmica dizendo: ''a imagem que circula nas redes sociais da abertura de novas covas é real, mas é importante esclarecer que ela não tem nenhuma relação com o período de pandemia que passamos.

Todo os anos, ao final do período de chuvas, isso é feito nos cemitérios municipais para preparar o cemitério para o ano todo".

Ministério da Saúde

Até as últimas atualizações, foram confirmadas 299 mortes e 7.910 casos confirmados do novo coronavírus. Com esse número alarmante, autoridades da área da saúde estão intensificando campanhas para conscientizar a população brasileira para respeitarem o momento de quarentena, pois ainda existem pessoas que desacreditam das mortes em decorrência da covid-19.

As orientações são realizadas pelas plataformas digitais, onde os profissionais da área da saúde informam que não é necessário procurar um hospital por uma simples tosse ou gripe. É aconselhável ir ao hospital quando surgir uma certa dificuldade em respirar.

Por falta de orientação, muitas pessoas apresentam um simples quadro de resfriado e enche os hospitais, ocupando lugares de quem realmente precisa de atendimento.

Além disso, os profissionais da área da saúde alertaram para quem possui familiares acima de 60 anos. Pelo fato dessas pessoas serem mais vulneráveis ao contágio da covid-19, a família deve permanecer isolada, para que um possível contágio não seja transmitida para essas pessoas de idade.

O uso das máscaras é fundamental acompanhado do álcool em gel para quem for as ruas.

Também é válido evitar contato físico, tendo como exemplo: abraços, beijos e apertos de mão. Outras formas de prevenção é divulgada pelos profissionais da área da saúde pelas redes sociais, mas eles informaram que não é necessário entrar em pânico, pois situação do país é controlável.

Presidente da República

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) informou que irá propor um jejum nacional com intuito de 'livrar' a população brasileira da covid-19.

Apesar de declarar algumas vezes que não apoia a paralisação das atividades do país, o atual presidente informou que esse momento é necessário para que as pessoas, que tem fé, busquem apoio a Deus. Apesar de ser uma forma diferenciada de solucionar os problemas do vírus, muitos apoiadores do Governo estão a favor da ideia proposta pelo atual presidente.

Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!