Após mostrar posição a favor ao governo de Jair Messias Bolsonaro (sem partido), professora se arrepende, volta a conversar com presidente e relata que está sofrendo ameaças após seu publicamente divulgada pelas redes oficiais do chefe do executivo.

''Estou com minha vida aberta, estou com medo. Poxa, acabaram com a minha vida. O que eu vou fazer agora? Me diz!'', questionou a professora que foi identificada como Fátima Dantas Montenegro. A professora informou que constantemente recebe ameaças através das suas redes sociais e diz temer que algo de ruim aconteça com ela ou até mesmo com seus familiares ou amigos.

Fátima ainda relatou que após a exposição não está conseguindo trabalhar. Sendo professora particular de caligrafia, ela informou que muitos alunos estão com medo de ir a residência dela com medo. Além disso, a professora informou muitos outros problemas. O vídeo questionando os problemas está tomando uma tremenda repercussão nas redes sociais.

Após ser questionado, bolsonaro não informou o que irá fazer para para coibir as ameaças dirigidas a professora. No momento, o vídeo divulgado já passa das 800 mil visualizações, onde muitas pessoas associam esses problemas ao atual presidente, já que ele expôs a vida de Fátima nas redes sociais. Até o fechamento dessa matéria, nenhuma informação a mais foi apresentada.

Antes do problema

Mediante os problemas em relação a paralisação do covid-19, Jair Bolsonaro compartilhou um vídeo em suas redes sociais onde uma mulher pedia que o presidente usasse as forças militares para conter os problemas.

O vídeo foi de extrema repercussão nas redes sociais, onde muitas pessoas questionaram o posicionamento da mulher.

Depois de alguns dias, ela teve a identidade revelada, sendo identificada como Fátima Dantas Montenegro, suposta professora. Desde então, os problemas só persistiram na vida de Fátima em decorrência do vídeo divulgado por Bolsonaro.

Jair Bolsonaro e covid-19

Após seguir um caminho diferente dos demais presidentes mundiais, dias atrás, Jair Bolsonaro informou que tomará uma medida diferenciada a respeito da proliferação da covid-19.

O chefe do executivo informou que irá se reunir com entidades religiosas evangélicas e católicas para fazer um sacrifício religioso, onde será realizado um jejum.

O objetivo desse jejum é fazer com que os brasileiros fiquem 'imunes' da covid-19. Bolsonaro informou que esse é um momento ideal para se apegar com Deus, já que o problema do vírus tomou uma proporção inesperada para o governo. Ainda não tem uma data estipulada para quando será realizado esse jejum espiritual.

Apesar de ser uma decisão diferenciada, muitos apoiadores do governo estão esperançosos com essa ideia do presidente.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!