Sérgio Moro ameaçou pedir demissão do cargo de Ministro da Justiça e Segurança Pública do Governo Jair Bolsonaro. A informação é o do jornal Folha de São Paulo.

A decisão foi tomada logo após o presidente informar o interesse de demitir o atual diretor-geral da Polícia Federal, hoje comandada por Maurício Valeixo, braço direito do ex-juiz da Operação Lava Jato.

Bolsonaro tenta reverter decisão de Sérgio Moro

De acordo com o jornal, ambos participaram de uma reunião na manhã desta quinta-feira (23), onde foi pautado o interesse pela troca do comando PF.

Sérgio Moro, no entanto, não recebeu uma justificativa convincente do presidente Jair Bolsonaro e ameaçou deixar o Ministério caso Valeixo fosse mesmo demitido.

Segundo o jornal Folha de S. Paulo, o presidente convocou os ministros Braga Netto (Casa Civil) e Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo) para convencer Sérgio Moro a não abandonar o Governo. A assessoria do ministro negou o pedido de demissão, mas até a publicação desta matéria, Moro e Bolsonaro não comentaram o caso oficialmente.

Valeixo é homem de confiança de Sérgio Moro

Um dos nomes mais badalados para incorporar o governo quando Bolsonaro venceu as Eleições de 2018, Sérgio Moro chegou com o poder de ter carta branca na sua nova função.

Assim que assumiu o cargo de ministro, Moro nomeou Maurício Valeixo para a direção-geral da Polícia Federal, instituição ligada ao Ministério da Justiça e Segurança Pública.

Mas, com o passar do tempo, a relação entre Moro e Bolsonaro foi se enfraquecendo, e culminou em mais uma discordância entre os dois.

De acordo o jornal, o presidente tinha a intenção de comunicar a demissão de Valeixo nesta sexta-feira (24), mas foi surpreendido com o contra-ataque de Sérgio Moro.

O objetivo de Bolsonaro, com isso, seria substituir a direção da PF por uma pessoa de sua confiança.

Em meio a especulação da demissão de Sérgio Moro, políticos reagem

Logo que surgiu as primeiras notícias do pedido de demissão de Sérgio Moro, alguns políticos de oposição, quem já foi aliado ou quem é da base do governo usaram o Twitter para comentar sobre o caso.

A deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP), líder do partido na câmara, utilizou o seu perfil para sair em defesa de Moro e comentar a situação. Dentre algumas postagens, a parlamentar chegou a acusar o presidente Jair Bolsonaro de querer mudar o comando da PF para abafar as acusações que o seu filho, senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), vem sofrendo pelo caso Queiroz. Leia alguns tuítes de Joice:

Um dos principais nomes da oposição, o deputado federal Marcelo Freixo (PSOL-RJ) direcionou uma mensagem para Moro pedindo explicações sobre o real interesse na demissão de Valeixo.

Aliada do governo, a deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP) chegou a postar, às 15h26, um pedido de "por favor" para que Moro ficasse no cargo. No entanto, minutos depois ela apagou o tuíte e disparou contra a imprensa dizendo que os veículos "pregaram uma peça" e fizeram a bolsa de valores cair ao noticiarem a crise entre Moro e Bolsonaro.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Lava Jato
Seguir
Siga a página Sergio Moro
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!