Apoiadores do atual presidente Jair Messias Bolsonaro lotaram a Esplanada dos Ministérios na manhã deste domingo (02). Centenas de veículos buzinavam ao mesmo tempo em prol do Governo.

Além disso, muitas pessoas gritam palavras de ordem contra o presidente da Câmara dos Deputados e o Supremo Tribunal Federal (STF). Os manifestantes descumpriram medidas de isolamento social importa pelo Ministério da Saúde e fizeram aglomerações frente ao Museu da República, e da Catedral de Brasília

O ato se estendeu por algumas horas, e contou com a participação de algumas viaturas da Polícia Militar para conter possíveis problemas durante a passeata, mas, de acordo com informações do jornal 'Correio Braziliense', nenhuma briga ou prisão foi registrada.

Na tarde deste último sábado, o ato se repetiu em frente a Superintendência da Polícia Federal, em Coritiba, onde atraiu manifestantes a favor de Sergio Moro e contrários ao ex-ministro. Um grupo pró-Bolsonaro queimou camisetas com imagens de Moro e tentou atrapalhar o trabalho de jornalistas. Apoiadores do ex-ministro exaltaram a Lava Jato e a ruptura com o governo Bolsonaro.

O Ministério da Saúde adverte qualquer ato de manifestação nas ruas, tendo em vista do alto grau de proliferação do coronavírus. Doença essa que já vitimou cerca de 7.500 pessoas e deixou mais de 100 mil casos confirmados.

Sergio Moro

Após deixar o cargo de ministro da Justiça e Segurança, Sérgio Moro tem denunciado o atual presidente da república.

De acordo com informações do ex-ministro, Bolsonaro teria interferido nos inquéritos da Polícia Federal. Mediante a isso, ele foi notificado a realizar um depoimento em Curitiba, na Superintendência da Polícia Federal.

O ex-ministro permaneceu durante algumas horas depondo, onde apresentou conversas, áudios, e-mails e vídeos que trocou com o presidente da república no período que exerceu a função política.

Na manhã deste domingo, Moro usou seu Twitter para dizer o seguinte: ''Há lealdades maiores do que as pessoais''

Jair Bolsonaro

Após ter sido acusado por Sergio Moro por ter usado o cargo de presidente da República para interferir nos inquéritos da PF, Bolsonaro usou as redes sociais para se manifestar sobre as criticas e ainda hostilizou a conduta do ex-ministro.

''O Judas, que hoje deporá, interferiu para que não se investigasse? Nada farei que não esteja de acordo com a Constituição'', digitou Bolsonaro horas antes de Moro depor.

Redes sociais

Nos últimos dias, as redes sociais tem sido bastante movimentada após Sergio Moro e Bolsonaro entrarem e atritos. Mediante a isso, parte da população brasileira fica dividida, pois alguns ficam do lado do presidente da república e outros apoiam as criticas proferidas pelo ex-ministro da Justiça e Segurança.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Governo
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!