Na manhã desta quarta-feira (3), o ministro do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno, utilizou suas redes sociais para criticar o jornalista paraibano José Neumânne Pinto. Através do seu perfil do twitter, Heleno escreveu uma mensagem que encabeçou com a frase: "José Nêumanne e a desonestidade intelectual de um jornalista".

Segundo o ministro, a primeira qualidade que se espera de um profissional que trabalha com a distribuição de notícias seria a de sempre escrever verdades, dando a entender que não encontraria tais qualidades em Nêumanne. "Se houver dúvidas, que se informe ou, pelo menos, faça contato com quem pretende acusar, antes de publicar criações de sua cabeça", concluiu o general.

Respostas

Em seguida, Heleno destrinchou suas críticas ao comentário em vídeo mais recente gravado pelo jornalista apontando o que em sua opinião seriam erros na produção do material informativo. Primeiramente ele esclareceu que foi ajudante do general Silvio Frota, enquanto este era ministro, e que jamais desejou iniciar algum golpe como teria indicado José Nêumanne. Nesta mesma mensagem ele inclusive afirmou que o jornalista integraria a "parte contaminada da imprensa".

Heleno também garantiu que foi inocentado de todas as acusações contra ele que tramitavam no Tribunal de Contas da União, declarando que se tratavam de acusações insustentáveis.

"Autorizei financiamento de um Centro Móvel de Comando e Controle, essencial para os Jogos Mundiais Militares. Não merece explicar porque vc é ignorante no assunto", prosseguiu o ex-militar.

Ele ainda apresentou a foto de um telegrama que recebera após deixar o comando das tropas da Organização das Nações Unidas que exercem serviço de pacificação no Haiti em resposta às acusações de que teria sido destituído do cargo após comandar um massacre numa das favelas da cidade de Porto Príncipe.

Além da imagem em que é possível ler o pedido para que o seu período no comando da operação fosse estendido, o general convidou José Nêumanne a visitar o Haiti e ouvir o que os locais têm a falar sobre ele.

Ele concluiu negando que integrasse o Comitê Olímpico Brasileiro quando a cidade do Rio de Janeiro foi escolhida como sede para os Jogos Olímpicos de Verão de 2016.

Augusto Heleno afirmou que na época era general da ativa do Exército brasileiro e que o seu período enquanto membro do órgão poderia ser verificado com as pessoas que trabalharam com ele neste período. "Peço-lhe, portanto, que tenha a dignidade de corrigir as notícias falsas que publicou. De antemão, agradeço", afirmou Heleno ao finalizar a série de mensagens.

Guerras Virtuais

O general Augusto Heleno é costumaz usuário das redes sociais e não foge da disputa com adversários políticos nem se nega a responder os seus críticos. Um dos nomes com quem general Augusto Heleno se envolveu em uma disputa recente foi o ex-candidato à presidência da República Ciro Gomes.

Na ocasião, ambos trocaram diversas ofensas, com o general chamando inclusive o ex-ministro da economia de lixo humano.

Respostas à imprensa

Este diálogo com José Nêumanne Pinto não foi a primeira vez em que o general da reserva respondeu informações da imprensa sobre ele. Anteriormente ele já havia vindo a público através do seu perfil virtual para responder algumas reportagens publicadas pelo site Metrópoles acerca do seu comportamento durante o período em que deveria ficar em isolamento ao ser diagnosticado com covid-19.

Na ocasião, o general foi acusado de transitar pelo prédio em que morava, preocupando outros moradores que temiam pela própria saúde. Em uma série de mensagens o general negou a informação e afirmou que teria deixado seu apartamento uma única vez sob permissão médica para encontrar-se com o presidente da República, Jair Bolsonaro.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!