Considerado como programa social chave para aumentar a credibilidade do presidente Bolsonaro com seus eleitores, o programa Renda Brasil, proposto pela equipe econômica liderada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, não agradou nem mesmo o próprio presidente da República. Em um evento da Usiminas, Bolsonaro explicou que a proposta atual do Renda Brasil foi suspensa.

Ainda de acordo com o presidente, o principal motivo da suspensão do programa é que Paulo Guedes defende o pagamento de até R$ 250. Bolsonaro afirma que o valor é baixo e defende o pagamento de um valor maior para oficializar o Renda Brasil.

Ainda de acordo com informações, o Governo pretende reduzir gastos com outros programas sociais e adicionar parte destas verbas ao novo programa que deverá substituir o Bolsa Família.

Bolsonaro entra em queda de braço com equipe econômica de Guedes

Após criticar o valor de R$ 250 proposto por Paulo Guedes, a argumentação de Bolsonaro em relação ao benefício acabou gerando dúvidas sobre a criação do programa. Enquanto o presidente defende a manutenção da maioria dos programas sociais, Paulo Guedes insiste em cortar gastos com alguns benefícios para adicionar parte destes valores ao Renda Brasil. Apesar de inúmeras divergências entre Bolsonaro e Guedes, fontes próximas afirmam que o cargo do ministro não está ameaçado no governo.

Bolsonaro afirma que pretende estender o Auxílio Emergencial

Após ser questionado, o presidente da República reafirmou que mantém o desejo de poder estender o Auxílio Emergencial até o final deste ano. Apesar de o valor ainda estar sendo discutido pelo governo, Bolsonaro também destacou que precisa fazer a economia do Brasil engrenar.

Perguntado ser valor da parcela será reduzido, o presidente apenas respondeu que as próximas parcelas não serão de R$ 600,00 e nem de R$ 200,00.

Bolsonaro foi presença mais aguardada no evento em Ipatinga (MG)

O evento neste dia 26 de agosto foi marcado com a retomada dos trabalhos do Forno 1 da Usiminas que estava sem funcionar desde abril deste ano devido à pandemia causada pelo novo coronavírus.

O ato contou com a presença de 300 colaboradores da empresa, além de autoridades em geral. Além de Bolsonaro estiveram no local os ministros da Casa Civil Braga Neto e o ministro General Heleno.

A comitiva do governo chegou à cidade de Ipatinga por volta das 10h onde foi recebido pelos apoiadores de Bolsonaro, como de costume o presidente evitou usar a máscara de proteção em meio a aglomeração de pessoas. Depois de visitar os principais setores da Usiminas, a comitiva presidencial seguiu para o almoço. Ainda em Ipatinga, Bolsonaro deverá participar de um evento com seus apoiadores.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Governo
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!