Esta terça-feira (3) ficará marcada como dia histórico nos Estados Unidos em relação à disputa eleitoral entre os candidatos Donald Trump e Joe Biden. Segundo informações do comentarista Valdo Cruz, em sua coluna para o portal de notícias G1, consta a informação que o presidente brasileiro Jair Bolsonaro foi aconselhado por seus assessores a se manter neutro com o resultado das Eleições nos EUA.

Ainda de acordo com as informações, sabe-se da preferência de Bolsonaro por Trump, por ele apresentar uma ideologia muito semelhante à adotada pelo líder norte-americano. Tais ideologias referem-se ao conservadorismo da direita, costumes da família e a forma em como lida com questões políticas.

Brasil acompanha com cautela disputa entre Trump e Biden

O governo brasileiro acompanha com cautela o resultado final da eleição presidencial dos norte-americanos. A estratégia de se manter em silêncio está sendo usada devido à disputa apertada entre os candidatos Joe Biden e Donald Trump. No momento, o democrata lidera as intenções de voto com uma pequena vantagem. Outro fato que o Itamaraty prefere não falar a respeito é sobre a possibilidade de judicialização do processo eleitoral nos EUA em caso de derrota de Trump. O problema também tende a criar mais dúvidas e incertezas entre os eleitores norte-americanos.

Derrota de Trump pode atrapalhar relação entre EUA e Brasil?

As últimas pesquisas apontam para a vitória do democrata Joe Biden, com uma vantagem apertada em relação ao republicano Donald Trump.

Sendo assim, caso a vitória de Biden se confirme ,resta saber se o Governo brasileiro irá sinalizar se pretende manter o alinhamento que vinha tendo com os Estados Unidos.

Caso Biden ganhe a eleição, o democrata pode tornar as relações mais complicadas para o governo brasileiro, com maiores cobranças principalmente na proteção da Amazônia.

Vitória de Trump pode prejudicar parceria entre Brasil e China?

A única certeza é que após as eleições nos Estados Unidos, a China ainda continue sendo um elemento fundamental nas relações diplomáticas com o Brasil. Com a vitória de Donald Trump nas urnas, o governo brasileiro tende a se manter alinhado aos Estados Unidos na guerra comercial contra a China.

No entanto, os assessores de Bolsonaro já teriam aconselhado o presidente que, independentemente de quem vença a disputa presidencial nos EUA, é fundamental que o governo brasileiro adote outra postura com o objetivo de mudar sua relação com a China.

Entre os argumentos dos assessores presidenciais de Bolsonaro, destaca-se o saldo comercial do Brasil com os chineses em 2020, considerado o maior de toda a história. Por outro lado, a balança comercial dos Estados Unidos caiu muito nos últimos anos, chegando a registrar um déficit. Ou seja, a parceria de Bolsonaro com o governo dos EUA pode render prejuízos ao Brasil no futuro, enquanto que o país asiático está em alta. Segundo a avaliação dos assessores, isto deveria ser levado em consideração, independentemente do resultado das eleições presidenciais nos Estados Unidos.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Siga a página Eleições
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!