De acordo com uma pesquisa realizada pelo instituto de pesquisas Datafolha e publicada pelo jornal Folha de S.Paulo, a maioria dos brasileiros não culpa o presidente da Jair Bolsonaro (sem partido) pelas mortes causadas pelo coronavírus no Brasil. Até o momento foram registradas mais de 181 mil mortes causadas pela Covid-19 no país.

52% das pessoas que participaram da pesquisa responderam que Bolsonaro não tem culpa sobre as mortes causadas pelo vírus, já 38% dos entrevistados disseram que Bolsonaro teve uma parcela de culpa, mas não de forma direta, e 8% disseram que Bolsonaro foi o maior causador das mortes pelo coronavírus no Brasil.

Desde o início da pandemia, Bolsonaro causou polêmica com alguns discursos minimizando a pandemia de coronavírus no Brasil. Em todo o mundo, até o momento, o vírus fez cerca de 1,6 milhão de vítimas. Bolsonaro disse que o vírus se tratava de uma "gripezinha", e a sua fala repercutiu bastante.

Outras falas polêmicas do presidente sobre a pandemia ocorreram quando ele, ao ser questionado sobre o número mortos que estavam chegando aos 100 mil, respondeu com um “e daí?”, alegando que não poderia fazer mais nada. Em sua declaração mais recente, como resposta ao questionamento sobre soluções para conter a pandemia, Bolsonaro disse que o Brasil não poderia ser um país de “maricas”. A frase gerou polêmica nas redes sociais e até alguns artistas famosos e políticos rebateram a fala do presidente.

Apesar das declarações já dadas pelo presidente quanto à pandemia, o número de pessoas que isentam Bolsonaro pela situação que se encontra o país quanto às mortes causadas pelo vírus, cresceu. Em agosto, 47% isentavam Bolsonaro por mortes pelo coronavírus.

Para algumas pessoas a atuação do governo está fraca

Apesar de a maioria das pessoas não ver culpa de Bolsonaro sobre as mortes causadas pela Covid-19, não quer dizer que a sua atuação no combate esteja indo bem.

Segundo a pesquisa do Datafolha, 42% disseram que a atuação de Bolsonaro é péssima ou ruim sobre as medidas para combater a pandemia. Outros 27% disseram que as medidas tomadas pelo Governo são regulares, e 30% classificaram as medidas como boas ou ótimas.

Uma pesquisa sobre a avaliação do Ministério da Saúde diz que 35% classificaram como ótimo ou bom a atuação da pasta durante a pandemia.

Mas esse número era maior (76%) quando a pasta era comandada por Luiz Henrique Mandetta, que deixou o governo por não concordar com a maneira como o presidente Bolsonaro queria conduzir a situação no início da pandemia.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!