De acordo com a matéria divulgada pelo jornal Folha de S.Paulo no último sábado (9), o candidato a presidente da Câmara dos Deputados Baleia Rossi (MDB-SP) teve seu nome citado em investigação de um suposto esquema que teria desviado R$ 200 milhões da prefeitura de Ribeirão Preto (SP).

As informações foram compartilhadas pelo Ministério Público de São Paulo com a PGR (Procuradoria-Geral da República), que por sua vez repassou os dados a um inquérito do STF (Supremo Tribunal Federal) que tramita sigilosamente na corte desde 2018.

Os documentos têm como assunto alguns detalhes da Operação Sevandija que foi deflagrada em 2016 e que vem apurando supostas fraudes por meio de licitações que ocorriam na Prefeitura de Ribeirão Preto.

As suspeitas se deram após o município direcionar contratos para aquisição de catracas escolares.

A matéria divulgada pela Folha relata que o nome de Rossi constava em caderno de anotações que foi apreendido com uma quadrilha que fazia parte do esquema.

Segundo as informações do jornal, Rossi teria recebido um total de R$ 760 mil, a maior parte deste montante em parcelas de R$ 20 mil, e R$ 100 mil durante a campanha eleitoral de 2014.

Baleia Rossi se manifestou sobre as informações e negou que tenha algum tipo de envolvimento no suposto esquema criminoso. Ele disse também que não recebeu nenhum dinheiro proveniente de roubo ou que tenha sido desviado dos cofres públicos.

Vários partidos se juntaram para apoiar Rossi nas eleições da Câmara

Baleia Rossi disputa com Arthur Lira a vaga atualmente ocupada por Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Baleia Rossi tem recebido o apoio de vários parlamentares da Casa para ser eleito o novo presidente da Câmara para os próximos dois anos. Até o momento, 11 partidos declararam apoio a Rossi, que juntos somam 261 votos.

Dentre os apoiadores se destacam o PT, que optou em ajudar o candidato por falta de votos e, segundo a presidente do partido, Gleisi Hoffmann, para impedir que o candidato apoiado pelo presidente Jair Bolsonaro ganhasse.

O PT tem algumas divergências com o DEM, partido de Rodrigo Maia, que já votou a favor da cassação do mandato da ex-presidente Dilma Rousseff, em 2016. No entanto, Gleisi disse que é preciso combater o “mal maior”, referindo-se a Bolsonaro.

Bolsonaro criticou aliança entre Maia e o PT

Esta aliança foi criticada por Bolsonaro enquanto conversava com seus apoiadores.

Ele disse que Maia e PT se juntaram apenas para manter o poder em mãos, pois Maia é um desafeto do PT.

O presidente relembrou também que o PT já dificultou o mandato do pai de Maia, Cesar Maia, quando era prefeito do Rio de Janeiro. Com tom de ironia ele disse que óleo e água se misturam e que Maia e o PT são bem parecidos.

Bolsonaro quer que o candidato que vem apoiando, Arthur Lira, ganhe, para, segundo ele, entregar o país melhor do que o que achou.

Siga a página Política
Seguir
Siga a página Corrupção
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!