Segundo o colunista Mauricio Stycer, do portal UOL, a Record TV, que sempre evitou fazer críticas ao Governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), não conseguiu evitar mais uma vez. Diante da situação em que se encontra o país quanto ao número de mortos na pandemia, que já ultrapassam os 200 mil, e a atuação do governo no combate à Covid-19, a Record usou um pouco do tempo de um de seus telejornais para falar sobre assunto.

Outra crítica feita pela emissora contra Bolsonaro foi sobre o embate que surgiu em torno da vacina CoronaVac, que envolve o governador de São Paulo, João Doria (PSDB).

e o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello.

O primeiro ponto tocado pela emissora foi sobre a ausência de expectativa de Bolsonaro sobre a aprovação do uso emergencial das vacinas pelo órgão competente, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), ao dizer que Bolsonaro levou 24 horas depois do anúncio para falar sobre o assunto.

Em seguida os jornalistas apresentaram um vídeo em que aparece Bolsonaro dizendo que o imunizante CoronaVac produzido pelo Instituto Butantan não pertence a nenhum governador e que a vacina é do Brasil.

A âncora do "Jornal da Record", Christina Lemos, comentou a narrativa do presidente e comparou com uma antiga em que o presidente diz que não iria financiar o projeto de pesquisa quando a vacina estava sendo desenvolvida e chegou até mesmo cancelar a compra de 46 milhões de doses da CoronaVac.

A apresentadora também comentou sobre a fala do vice-presidente Hamilton Mourão, que disse não ter sentido nada ao ver a enfermeira Mônica Calazans ser a primeira brasileira a receber a vacina no país.

A repórter disse em tom de ironia que o general Mourão havia economizado nas palavras, visto que esse momento representa um momento de esperança contra o coronavírus.

Pesquisa

Durante o programa, os jornalistas apresentaram também novos dados de pesquisa realizada pela instituição XP-Ipespe quanto à satisfação dos brasileiros na atuação do governo no mês de janeiro em comparação ao de dezembro de 2020.

Entre os que acham a atuação do governo ruim ou péssima, houve um aumento de 5% em relação ao mês passado.

Antes eram 35% e agora são 40%. Já os que acham o governo bom ou ótimo teve uma redução de 6%. Antes eram 38% e agora são 32%.

Para finalizar, o "Jornal da Record" exibiu um trecho em que o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski exige que o ministro da Saúde apresente um plano de vacinação atualizado, estabelecendo data e quantidade de vacinas que estarão disponíveis para serem usadas nos brasileiros.

Quem também já criticou o governo por conta da atuação na pandemia foi a ex-âncora do "Jornal da Record" Adriana Araújo, que na época disse que o governo teria que ter mais transparência e agilidade em divulgar os dados sobre a pandemia no Brasil.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!