O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) deixou um recado para o agora ex-presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), enquanto conversava com seus apoiadores.

Como nesta segunda-feira (1°) se encerrou o mandato de Maia à frente da Câmara –ele que sempre foi visto como um obstáculo ao atual Governo pelo próprio presidente e seus apoiadores–, sua saída pode ter soado como um alívio.

Um eleitor pediu para Bolsonaro comentar a saída de Maia. O presidente então respondeu que o seu desejo é que o deputado “seja feliz”, pois tudo acaba um dia, e citou como exemplo o seu próprio mandato, afirmando que os ocupantes de cargos públicos devem se preparar para este dia.

Nesta segunda-feira (1°) acontecem as eleições na Câmara e no Senado. Maia apoia o candidato Baleia Rossi (MDB-SP), e Bolsonaro manifestou seu apoio A Arthur Lira (PP-AL).

No último final de semana, Maia sofreu uma grande perda de apoio no DEM. Isso porque os membros da sigla ficaram divididos sobre quem apoiar nesta eleição, e assim a legenda decidiu deixar que os seus deputados escolhessem seus candidatos.

A vitória de Lira pode ser uma boa forma de Bolsonaro conseguir aprovar projetos que antes eram limitados por Maia.

Sobre qual partido irá pertencer, Bolsonaro disse que está pensando em arrumar uma alternativa, pois já pensou em criar um partido, mas devido à burocracia está deixando esta ideia de lado e começou a pensar em algum dos partidos que já estão ativos.

Baleia Rossi acusa governo de interferência

Baleia Rossi já conseguiu apoio de 11 partidos, mas teme interferências do governo nas eleições. Em uma de suas acusações, Rossi disse que o governo estava coagindo e ameaçando deputados para conseguir votos para o candidato que vem apoiando, Lira. Já Lira afirma que não há interferências do governo na eleição.

Quem também acusou o governo de estar manipulando o resultado da eleição foi Maia, o qual garantiu que a interferência ao governo terá consequências.

Sobre os pedidos de impeachment, Rossi disse que não iria usar como instrumento de campanha para se beneficiar, mas se caso for eleito, prometeu que vai analisar todos e tomar suas decisões de acordo com a Constituição.

Na ocasião, Rossi questionou se Lira iria fazer o mesmo. O deputado não respondeu ao emedebista.

Notícias informando que Bolsonaro quer recriar ministérios ou até exonerar ocupantes para oferecer cargos aos partidos do Centrão têm circulado na imprensa.

Uma destas notícias diz que o governo quer passar o Ministério da Saúde, hoje ocupado pelo general Eduardo Pazuello, que vem enfrentado críticas e até investigações por conta das ações durante a pandemia quanto a demora da vacina e a crise sanitária em Manaus.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!