Segundo informações divulgadas pela colunista Mônica Bergamo, do jornal Folha de S.Paulo, alguns ministros disseram quea prisão do deputado Daniel Silveira (PSL-RJ) foi também um recado para os militares que têm apoiado a pressão feita pelo general Eduardo Villas Bôas sobre o Supremo Tribunal Federal (STF) no julgamento da prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), em 2018.

Silveira foi preso depois de divulgar um vídeo com ataques a ministros do STF, em especial Edson Fachin, ao qual pediu para tomar uma atitude de “homem” pelo menos uma vez na vida e prender Villas Bôas.

Villas Bôas havia feita uma postagem com tom de ironia contra Fachin dizendo que o ministro só fala de fatos antigos, referindo-se a uma mensagem dita pelo general contra a Corte publicada em 2018.

No entendimento dos ministros, tanto o deputado quanto o general praticaram atos considerados antidemocráticos e que têm como objetivo ameaçar as instituições.

Motivo da prisão

O deputado Silveira teve sua prisão decretada na última quarta-feira (17), por volta das 23h. O motivo foi um vídeo em que ele aparece fazendo críticas e ofendendo os ministros do STF. Ao longo do vídeo ele diz que Abraham Weintraub, ex-ministro da Educação do Governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), tinha razão quando declarou durante uma reunião do governo que os ministros deveriam ser presos.

Além disso, ele desafiou os ministros para debater sobre temas abordados na Constituição, insinuando que os magistrados não entendem de Lei.

Silveira gravou vídeo no momento da prisão

Assim que a Polícia Federal chegou a sua casa, o deputado disse que recebeu os agentes e pediu para esperá-lo enquanto gravou um vídeo informando sobre sua prisão.

Durante as imagens, Silveira diz para seus seguidores que os policiais estavam lhe esperando na sala de sua residência. Em seguida ele volta a criticar os ministros e afirmou que não tinha medo de ficar preso, pois já estava acostumado a ser detido e solto pela Justiça. Na ocasião ele diz também que o decreto expedido pelo ministro Alexandre de Moraes foi uma tentativa de calá-lo.

Ele afirmou que essa atitude de Moraes, na verdade, o fez querer falar ainda mais contra os ministros.

Parlamentares se manifestaram sobre o caso

Alguns parlamentares comentaram sobre a prisão de Silveira dizendo que a alegação de flagrante foi ilegal, pois se houve um flagrante não haveria necessidades de mandado. Outros parlamentares já tiveram uma opinião diferente sobre o caso e disseram que a medida foi cabível à situação, pois o deputado havia praticado crimes antidemocráticos e que ferem a Lei de Segurança Nacional.

Durante depoimento, Silveira falou pouco e não quis se aprofundar sobre suas declarações. Uma discussão foi aberta na Câmara dos Deputados para decidir se o deputado irá permanecer preso ou deve ser solto.

Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!