O ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro comentou publicamente pela primeira vez sobre a última decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que classificou a atuação dele na Operação Lava Jato, mais precisamente nos casos envolvendo o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, como parcial.

No último domingo (28), a pedido do grupo Parlatório, Moro participou de uma live, que contou com a presença de vários empresários e políticos.

Em uma de suas falas sobre a decisão do STF, Moro disse que não sente arrependimentos de sua atuação e nem das decisões que tomou durante os processos no âmbito da Lava Jato.

O ex-juiz afirmou também que o que sente na verdade é orgulho em ter trabalhado na operação.

Moro tentar minimizar situação

O ex-juiz disse que não descarta a possibilidade de terem ocorrido alguns erros durante os julgamentos na Lava Jato, mas que tais erros não foram cometidos por intensão de prejudicar alguém, descartando a prática do abuso por parte dos integrantes da operação.

Durante a live, Moro tentou também minimizar as acusações de que a Lava Jato formou conluio entre juízes e procuradores para derrubar políticos. O ex-juiz disse que a operação investigou e prendeu pessoas que estavam envolvidas em esquemas de repasses de propinas e que os réus que foram julgados pagaram ou receberam dinheiro ilícito.

Para finalizar seu discurso, Moro afirmou que estava apenas desabafando um pouco sobre o assunto e voltou a dizer que não se arrependeu de seu trabalho na Lava Jato, pois foi muito importante para sua carreira como juiz e recebeu todo apoio da população brasileira.

Moro rebate acusação de parcialidade

Estas foram as primeiras declarações do ex-juiz após o STF julgar que Moro atuou de forma parcial no caso do tríplex que levou o ex-presidente Lula a ser condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Um dia após a Corte proferir a decisão no dia 23 de março, Moro comentou sobre o assunto, mas foi por meio de uma nota em que ele dizia estar tranquilo sobre o entendimento dos ministros sobre sua atuação.

No entanto, o ex-juiz criticou a decisão tomada por parte do Supremo, que retirou da Justiça de Curitiba a competência para julgar casos da Lava Jato envolvendo o ex-presidente Lula, classificando-a como algo ruim para o país.

Na nota, Moro disse que sempre respeitou a Corte e afirmou que o pedido de revisão da jurisprudência das execuções da primeira instância foi uma decisão errada e infeliz.

Como forma de rebater as acusações de parcialidade, Moro disse que pelo menos 20% dos investigados na Lava Jato foram absolvidos e questionou: "Cadê o conluio?".

Siga a página Lava Jato
Seguir
Siga a página Sergio Moro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!