Nesta quinta-feira (15), o ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva (PT) conversou com o jornalista Jocélio Leal, da rádio O Povo CBN, de Fortaleza (CE). O grande destaque vai para as falas do petista sobre a Lava Jato e a política do governo do presidente Jair Bolsonaro.

Lava Jato

O plenário da Corte do Supremo Tribunal Federal (STF) deverá decidir sobre a anulação das condenações do ex-presidente na Operação Lava Jato. No início de março, o ministro do STF Edson Fachin anulou as provas do caso do tríplex de Guarujá, não inocentando Lula, mas decidindo que a Vara de Curitiba não era competente para julgá-lo.

Durante a entrevista, Lula voltou a disparar contra o procurador Deltan Dallagnol e o ex-juiz Sergio Moro, que o condenou por corrupção no caso do tríplex.

"Eu estou tranquilo. Aliás, eu estou tranquilo desde que eu fui para a Polícia Federal, porque eu tinha como objetivo provar que o Moro e Dallagnol tinham montando uma quadrilha no meu caso. E tudo que eu falar aqui é só sobre meu caso. Ou seja, foi criado um tal de PowerPoint, que vocês devem ter acompanhado, que dizia que eu era chefe de uma quadrilha. Era a necessidade que eles tinham de poder me envolver no processo da Lava Jato para me levar para Curitiba, porque era uma obsessão do Moro e do Dallagnol evitar que eu fosse candidato em 2018", reclamou.

De acordo com Lula, cada vez está mais evidente sua inocência. "Nós agora estamos provando todas as mentiras que foram contadas a meu respeito. É importante só para deixar claro, que tem gente que gosta de fazer confusão: 'há que se votar com o caso do Lula vai acabar com a Lava Jato'. Não vai acabar com a Lava Jato. Vai acabar no meu caso com as mentiras que eles contaram.

Porque no dia do meu julgamento, o Moro, ao não ter prova e a não ter do que me acusar, me condenou por fato indeterminado. Se o juiz não tinha porque me condenar, porque que me condenou?", disse.

O político diz que não tem receio de passar por um novo julgamento. "O que nós queríamos é um julgamento justo. Eu tenho tanto consciência da minha inocência que eu me disponho a ir a qualquer tribunal, qualquer instância, desafiando a quem vai me julgar a mostrar uma única prova.

Qualquer que seja a prova", desafiou.

Lula comentou momento do presidente Bolsonaro

Segundo o petista, a atuação do presidente Jair Bolsonaro diante da pandemia do coronavírus é uma lástima. "O problema do Bolsonaro, por exemplo, é que o Bolsonaro desrespeita sistematicamente o processo democrático. Desrespeita as instituições. Ofende a sociedade. Você acha que eu tenho prazer de chamar o Bolsonaro de genocida? Você acha que eu tenho prazer? É que esse cidadão fez tudo diferente daquilo que a ciência brasileira está pedindo. Tudo aquilo que a Organização Mundial da Saúde está pedindo. Tudo aquilo que o bom senso esttá orientando, o Bolsonaro faz tudo contra", criticou.

Siga a página Lava Jato
Seguir
Siga a página Sergio Moro
Seguir
Siga a página Lula
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!