Após a morte do pastor Anderson do Carmo, marido da deputada e pastora Flordelis, a Polícia Civil realizou uma série de oitivas de testemunhas a fim de elucidar o assassinato do religioso. Anderson foi executado a tiros na residência da família em Niterói, RJ, em junho do ano passado. Dois dos filhos de Flordelis estão presos pela prática do crime. De acordo com o jornal Extra, em depoimento de uma testemunha, que teria ocorrido no dia 2 de setembro do ano passado, detalhes sobre a vida íntima da família teriam sido revelados. Um homem, que não teve a identidade revelada, afirmou que teria residido na casa da pastora por cinco anos, no fim dos anos 90.

Tal testemunha foi ouvida pela polícia durante o inquérito sobre a morte do pastor Anderson do Carmo. O homem disse em depoimento que acreditava participar de uma espécie de seita e que teria chegado a manter relações íntimas com Flordelis. A testemunha revelou, ainda, que passou a residir na casa da família após ter sido convidado pela pastora a participar de cultos no local.

Supostos rituais liderados por Flordelis

Ainda de acordo com o jornal Extra, a testemunha afirmou à Delegacia de Homicídios do Rio de Janeiro que precisou passar por uma espécie de "ritual de purificação" na residência de Flordelis, que já residia com Anderson do Carmo. O homem contou que, na ocasião, teria ficado isolado em um local, usando roupas de cor branca e com alimentação restrita.

A testemunha relatou que no período de isolamento ficava lendo a Bíblia e recebia a visita de um grupo selecionado que também realizava os rituais.

O homem relatou, também, que em dado momento do isolamento Flordelis havia aparecido no quarto onde ele se encontrava e os dois teriam mantido relações íntimas, e que isso teria lhe impactado de alguma forma, pois a religiosa se apresentaria como uma espécie de "ser divino".

A testemunha não teria esclarecido se Anderson e Flordelis já se relacionavam amorosamente nesta época.

Sangue e relações íntimas

Durante o depoimento, a testemunha realizou uma série de revelações e acusações graves. O homem afirmou que Flordelis teria liderado um ritual de sangue, e teria pedido para que um de seus filhos se cortasse e transcrevesse um salmo da Bíblia.

A testemunha também revelou que Anderson do Carmo teria mantido relações íntimas com uma jovem que havia se mudado para a casa da família, com a autorização de Flordelis. O homem teria deixado a casa dos pastores no ano 2000. A equipe do jornal Extra procurou a deputada federal para comentar o depoimento da testemunha. Flordelis afirmou que o homem teria que comprovar as alegações judicialmente no momento oportuno.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!