Um terrível crime aconteceu na região do Vale do Itajaí, em Santa Catarina. O caso foi descoberto no domingo, dia 20 de janeiro, mas apenas na última sexta-feira (25) o tronco de Neomar da Rosa, de 25 anos, foi encontrado. Até a tarde de terça-feira (29), as demais partes ainda não haviam sido encontradas. A Polícia suspeita que a Mulher tenha sido esquartejada pelo companheiro, de 33 anos, que foi preso na última segunda-feira (28). A prisão do suspeito ainda é em caráter temporário. Em depoimento à polícia, o homem confessou o crime.

Segundo a Polícia Civil do estado de Santa Catarina, novas diligências aconteceram durante a tarde de terça-feira (29) para encontrar as demais partes do corpo da vítima, que foi morta e teve as partes do corpo separadas do tronco em Ituporanga.

O delegado do caso, Bruno Reis, revelou que o crime teria sido desencadeado por uma briga do casal em uma festa em um município vizinho, no dia 19 de janeiro. O suspeito teria deixado a festa sozinho e Neomar decidido ficar no local.

Homem é suspeito de esquartejar namorada e 'espalhar' partes do corpo

Ainda segundo relatos da polícia, uma terceira pessoa teria dado carona para a vítima após "ficar" com ela na festa. Ela foi deixada em sua casa e essa pessoa teria visto o início da discussão.

O homem que foi preso deve ser indiciado por feminicídio entre outros diversos qualificadores. A ocultação de cadáver é outro crime pelo qual ele deve ser indiciado. A situação do suposto réu ainda é mais complicada, pois ele tinha contra si dois BOs, ambos por violência contra mulheres.

Em determinada oportunidade ele ainda teria ameaçado de morte a companheira, usando uma faca.

Após preso e assumir o crime, o homem revelou onde teria deixado as partes do corpo da companheira. Segundo o delegado do caso, a cabeça teria sido deixada em Ituporanga. Já o tronco em um rio em Chapadão do Lageado . Os membros foram descartados no município de Aurora.

Os locais foram escolhidos de forma a evitar possíveis câmeras de segurança.

O crime ainda se torna mais cruel, pois o homem confessou que matou a mulher na manhã de domingo e deixou o corpo na sala o dia todo, decidindo o que iria fazer. Apenas à noite ele esquartejou e desovou os pedaços conforme descrito pelo delegado. Os dois moravam há cerca de quatro meses juntos.

A perícia e as câmeras de segurança serão importantes para tentar desvendar outros detalhes do crime e ajudar a identificar onde estão as partes do corpo que ainda não foram encontradas.

Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Mulher
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!