Um suspeito de matar e esquartejar a companheira de 25 anos foi preso nesta segunda-feira (28), na cidade de Ituporanga, no Vale do Itajaí, Santa Catarina. Segundo a Polícia Civil, o homem tem 33 anos e participou das diligências feitas pelos policiais em busca de partes do corpo da vítima.

O delegado responsável pelo caso, Bruno Augusto Reis, informou que o tronco da Mulher foi encontrado na sexta-feira (25) no meio de um amontoado de entulhos na barragem Sul, em Ituporanga. A parte do corpo foi encaminhado ao Instituto Geral de Perícias (IGP) para o trabalho de reconhecimento.

Publicidade

O tronco estava em estado de decomposição avançado, mas uma tatuagem foi o suficiente para que a família da vítima reconhecesse o como da mulher, identificada como Neomar da Rosa, de 25 anos. As informações são da Polícia Civil do estado de Santa Catarina.

O delegado informou que o casal vivia junto há quatro meses no município e o crime teria ocorrido no domingo (20) na casa onde o casal vivia.

Mais um caso de feminicídio

Segundo a legislação vigente, o crime se enquadra como feminicídio, quando o assassino mata sua vítima baseado no ódio contra o gênero feminino, em outras palavras: mata, simplesmente porque a vítima é mulher.

Um levantamento realizado pelo professor Jefferson Nascimento, doutor em Direito Internacional pela Universidade de São Paulo (USP), com base no noticiário nacional, apontou que 107 casos de feminicídios foram registrados no Brasil, apenas nos primeiros 21 dias do ano de 2019. Sessenta e oito casos acabaram em morte e 39 em tentativas.

O professor, no entanto, ressalta que o número deve ser maior, visto que, muitas mulheres acabam não denunciando a violência doméstica.

O crime de Ituporanga

O homem, suspeito de matar a companheira e esquartejar seu corpo, foi preso nesta segunda-feira por agentes da Polícia Civil que cumpriram o mandado de prisão temporária expedido pelo Poder Judiciário.

Publicidade

A PC-SC efetuou a prisão na casa do suspeito. Na delegacia, o homem confessou a prática do crime de feminicídio.

O delegado do caso informou que na confissão, o assassino disse que vivia há quatro meses com a companheira, mas que estava pensando em colocar fim ao Relacionamento. Disse também que, no sábado o casal foi a uma festa em uma cidade vizinha e acabaram tendo uma discussão, então o rapaz foi embora para sua casa, deixando a mulher na festa.

Ainda segundo relatos do autor, a vítima teria conhecido e ficado com outro homem na noite da festa.

Na manhã de domingo, ele tomou conhecimento da traição, com o retorno da companheira ao lar, eles brigaram, enfurecido e na posse de um martelo, o homem cometeu o crime.

O criminoso teria dado três golpes na cabeça da mulher e na tentativa de se livrar do corpo, usou uma faca para efetuar o esquartejamento do corpo. A Polícia Civil seguirá com as diligências, na tentativa de encontrar as partes do corpo, que devem estar em locais diferentes, informou o delegado.

A Polícia Civil informou que pesa contra o homem duas acusações de violência doméstica praticadas em outro relacionamento.

Publicidade