O Primeiro Comando da Capital (PCC) intimou a todos os membros pertencentes de seu departamento jurídico, a chamada sintonia dos gravatas, que aqueles detentos que tiverem algumas limitações como HIV, diabete, tuberculosos ou outras doenças semelhantes que alterem o sistema imunológico sejam libertos por tempo provisório em razão do covid-19.

Apesar de ser uma medida um pouco diferenciada, muitos outros detentos já cumprem a pena em casa. Mediante a isso, os membros do PCC estão correndo atrás para libertar todos da facção que ainda continuam correndo risco de vida atrás das grades. Sobre o respectivo caso apresentado, não tiveram informações se esse movimento surtiu efeito.

Pelas redes sociais, muitos internautas acharam ''cômico'' a atitude dos pertencentes da facção. Muitas pessoas informaram que isso é ato cômico pelo fato deles quererem ir contra a justiça. Por outro lado, alguns internautas apoiam essa medida, pois não se trata mais de criminosos e sim de seres humanos que estão correndo sérios riscos de vida, já que a proliferação do covid-19 é devastadora em toda parte do país e do mundo.

Até o momento, a notícia está gerando bastante repercussão e dividindo opiniões, pelo fato de ter pessoas apoiando a causa e outras achando uma afronta as determinações judiciais.

Covid-19

No estado de São Paulo, a justiça determinou a liberação de todos os detentos do Centro de Progressão Penitenciária de Tremembé que possuíam sintomas ou vulnerabilidade a respeito do covid-19.

O pedido foi feito pela Defensoria Pública de São Paulo.

Ainda não tiveram dados precisos de quantos detentos foram privilegiados com o benefício provisório. A justiça não estipulou um tempo para que os apenados retornem a cumprir pena em regime fechado, já que a tendência é que o vírus se prolifere ainda mais nas terras brasileiras.

Evolução do vírus

Nos últimos dias, a Itália está sendo destaque das notícias mundiais por registrar números assombrosos em relação as mortes devido ao contágio do covid-19. Nas últimas informações, o país italiano chegou a bater 900 mortes diárias, onde a maioria da vítimas eram pessoas acima de 60 anos. O atual presidente Sergio Mattarella informou que medidas extremas já estão sendo adotadas para que novas vítimas não sejam mortas pelo vírus.

Já no Brasil, cerca de 114 pessoas foram mortas nesse período de quarentena. De acordo com o Ministério da Saúde, a maioria das mortes estão presentes no estado de São Paulo e Rio de Janeiro. Ambos são estados que tem forte presença de turistas, o que fez com que os números subissem, já que o vírus tem descendência estrangeira.

Apesar de não ser um número grande comparado com os demais países, autoridades governamentais tomam medidas ainda mais extremas para que as pessoas não corram o risco de serem contaminadas com o covid-19. Comércios e estabelecimentos comerciais se encontram fechados sem previsão de reabertura.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!