Um cantor reagiu uma tentativa de assalto enquanto chegava em seu escritório no bairro Novo Jockey, na Zona Leste de Teresina em Piauí. O caso foi registrado no último dia 17, sexta-feira.

De acordo do informações do Jornal G1, o cantor que foi identificado como Anderson Rodrigues estava próximo ao ônibus de sua banda quando foi surpreendido por três motoqueiros. Um deles se aproximou do músico e anunciou o assalto, na tentativa de levar todos os objetos que o cantor possuía. Ao perceber que iria ser assaltado, o cantor, que também estava armado, sacou sua arma de fogo e começou a disparar contra os suspeitos que tentaram realizar o crime.

Os criminosos também chegaram a revidar e fugiram do local. O 5°BPM informou que ninguém foi ferido durante o curto tiroteio. Anderson Rodrigues possui porte de armas legal. Câmeras de monitoramento de uma residência conseguiu registrar todo o ocorrido.

Nas imagens, é possível conferir o momento que um dos suspeitos se aproxima da vítima com uma mochila que é usada por entregadores de comidas. A Polícia Civil já pegou as imagens e irá investigar o caso. Até o fechamento dessa matéria, não tiveram informações do paradeiro dos suspeitos e nem um pronunciamento publicamente por parte do cantor.

Criminalidade durante pandemia do coronavírus

Durante a proliferação do novo coronavírus, muitos crimes continuam sendo registrados no país. Apesar de haverem alguns casos isolados, informações apontam que houve uma diminuição considerável a respeito dos assaltos a mão armada e dos furtos nesse período de pandemia.

Enquanto alguns crimes tiveram diminuição, outros aumentaram. Os crimes domésticos envolvendo mulheres também tiveram um crescimento considerável. O Brasil é um país que apresenta altos números em relação a violência doméstica, mas nesse período de quarentena, houve um aumento fora da realidade padrão.

De acordo com informações, os crimes de violência contra a mulher teve um aumento pelo fato de muitas estarem vulneráveis dentro de casa.

Por isso, a ministra da Família, Mulher e Direitos Humanos (MMFDH), Damares Alves, criou um projeto para a elaboração de um aplicativo de denúncias.

Esse aplicativo irá servir para as mulheres usarem quando forem agredidas, tendo em vista que muitas são coagidas pelos seus respectivos parceiros para a não realização das denúncias. Com esse novo aplicativo, as vítimas poderão registrar a ocorrência pelo próprio celular, onde uma viatura da Polícia Militar irá ir até o local de onde foram feitas as agressões para que medidas possam ser tomadas.

No momento, não tiveram informações de quantas mulheres realizaram as denúncias por meio do aplicativo elaborado pela ministra. Damares informou que o intuito é da mais segurança para as mulheres vitimadas nesse período de quarentena.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!