Em meio aos problemas gerados pelo novo coronavírus, áudios de ameaça circulam pelas redes sociais para que os comércios fossem reabertos. De acordo com informações do UOL, esses áudios seriam de um Empresário, que estava sugerindo a união de donos de loja para "dar um tiro" no governador do estado, Renan Filho (MDB).

O empresário não teve a identidade revelada por questões de segurança, mas informações apontam que o empreendedor possui um restaurante de shopping em Maceió. Em razão da suspensão de parte das atividades profissionais e também de alguns estabelecimentos comerciais, o empresário entende que as lojas não podem ficar fechadas, tendo em vista que o prejuízo seria gigantesco.

''O negócio é, se a gente não se juntar pra dar um tiro nesse filha da puta desse governador, melhor a gente ficar em casa mesmo cordeirinho, como a gente está, vivendo numa ditadura", diz parte do áudio que está circulando por redes sociais.

Com essas ameaças, a Polícia Civil tomou ciência para aplicar penas referente ao crime cometido. Em nota, a assessoria do governador informou que ele não irá se posicionar sobre o caso. Até o fechamento dessa matéria, nenhuma informação nova foi apresentada sobre o caso.

Isolamento social em razão do coronavírus

Para coibir o contágio do novo coronavírus, muitos países mundiais estão adotando o isolamento social. O atual presidente da República, Jair Messias Bolsonaro (sem partido), declarou que o isolamento social é importante para evitar que novas mortes surjam no Brasil, mas que isso não pode impedir que todas as atividades profissionais sejam paralisadas.

Pelo alto risco de contaminação do novo coronavírus, muitos comércios, lojas ou empresas estão de portas fechadas.

Com isso, muitos trabalhadores estão em casa esperando que o vírus seja controlado para que eles possam exercer suas funções trabalhistas. Durante algumas entrevistas, o chefe do executivo informou que tentará impor uma medida para que as pessoas que não estiverem no grupo de risco possam voltar a trabalhar.

No último sábado (18), Bolsonaro também argumentou sobre a reabertura dos comércios no Brasil.

“O Supremo falou que eu não tenho autoridade para isso, mas, no que depender de mim, vamos começar a flexibilizar e mostrar que não é esse o caminho”, disse o presidente da República referente as medidas que ele tentaria colocar em plena pandemia. Ele também informou que a maioria da população iria ser atingida com o vírus, tendo que em vista que a doença já tomou uma enorme proporção no Brasil e também no mundo.

"70% vai ser contaminado com o coronavírus. Se não for hoje, vai ser semana que vem, mês que vem, é uma realidade”, comentou Bolsonaro.

Brasil e coronavírus

Diariamente o Ministério da Saúde publica boletins informativos nas redes sociais sobre as mortes geradas pelo novo coronavírus. De acordo com as últimas atualizações, cerca de 2.372 morreram e pouco mais de 36.925 casos foram confirmados. Informações apontam que São Paulo é o estado mais afetado com a doença, apresentando cerca de 991 mortes. A maioria das pessoas que morreram em razão do coronavírus foram aquelas que se encontravam no grupo de risco.

Controle do coronavírus

Muitas entidades governamentais entendem que o vírus no país é controlável, por outro lado, muitos outros parlamentares entendem que o Brasil já não possui mais controle em razão da pandemia.

A maioria dos estados brasileiros estão seguindo a risca a medida de quarentena imposta por agentes da saúde.

Como ainda não se teve informações da elaboração de medicamentos que possam coibir o contágio do vírus, a prevenção continua sendo a maneira mais eficaz de proteção.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!