Em meio à falta de itens para coibir o contágio do novo coronavírus, a Polícia Civil de Uberlândia, município de Minas Gerais, realizou uma doação de 200 máscaras ao Hospital Municipal da cidade, para que esse material seja usado pelos profissionais da saúde que trabalham no combate ao vírus.

De acordo com informações do jornal G1, as máscaras foram apreendidas no mês de março em 2019. Em razão da falta do material em algumas unidades hospitalares, essa doação teve o intuito de reforçar a segurança dos profissionais da área da saúde. A respeito do caso, o delegado que comandou a operação, Marcos Tadeu, comentou a ação.

“A melhor notícia é que os itens estão sendo reaproveitados e estão tendo a destinação necessária. São produtos que iriam perecer e ninguém os utilizariam, seria um desperdício total nessa crise”, disse. Ainda não tem informações se outros materiais serão doados.

Pelas redes sociais, muitas pessoas estão comentando positivamente sobre o ato solidários. Muitos internautas comentaram que esse de doação foi bastante válido, tendo em vista que muitos profissionais da saúde não usam máscaras pela falta de investimento por parte das autoridades governamentais.

Produção de máscaras

Pelo fato do material está bastante escasso nos últimos dias em meio a grande demanda, detentos da Penitenciária Industrial e no Presídio Regional, em Joinville, irão contribuir para que novas máscaras sejam produzidas

De acordo com informações, o primeiro material que será produzido pelos internos serão distribuídos para os profissionais que controlam as penitenciárias.

Em seguida, uma outra remessa será utilizada pelos detentos, tendo em vista que muitos estão vulneráveis ao contágio do vírus, já que a maioria das celas não possuem higienização.

O trabalho terá uma diminuição da pena. O trabalho de alguns internos referente a fabricação das máscaras irá durar até que a pandemia do novo coronavírus seja controlada pelas autoridades governamentais.

Coronavírus

Apesar de autoridades governamentais aplicarem o isolamento social em todo território nacional, muitas pessoas continuam sendo vitimadas pelo vírus. Informações apresentadas pelo próprio Ministério da Saúde apontam que o Brasil teve um aumento gradativo em razão do vírus, onde 1.532 mortes foram registradas e 25.262 casos foram confirmados.

A maioria dos vitimados são pessoas que se enquadram no grupo de risco, que seriam aquelas que possuem idade superior a 60 anos ou aquelas que possuem alguma doença venérea, tendo como exemplo: tuberculose e AIDS.

Rio de Janeiro e São Paulo foram os estados mais afetados com o novo coronavírus nas últimas semanas.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!