O colunista identificado como Chico Alves, do UOL, fez uma nota informativa comparando a Polícia Militar do estado do Rio de Janeiro com a pandemia do novo coronavírus, vírus este que já vitimou milhares de pessoas em todo o mundo.

De acordo com informações, o colunista entende que durante operações policiais nas comunidades cariocas, os agentes da segurança chegaram a matar bem mais que o coronavírus. Chico Alves atribuiu parte dessas mortes em operação policial ao governador do estado do Rio, Wilson Witzel, quando o governante deu "carta branca" para os policiais militares matarem quem estivesse portando armas de grosso calibre nas comunidades dominadas por traficantes.

Com isso, houve um aumento considerável a respeito de mortes durante as operações. O colunista também informou que a comunidade da Vila Kennedy, que fica localizada na zona oeste do Rio, abriga cerca de 150 mil habitantes. Nas últimas semanas, houve uma intensa operação na área, onde cerca de 8 pessoas acabaram morrendo durante o confronto. Na mesmo comunidade, durante esses dias de quarentena imposta por entidades governamentais, foram registradas apenas uma morte em relação ao coronavírus.

O último "banho de sangue", segundo o colunista, foi registrado neste último dia 26 de abril, onde cinco pessoas vieram a óbito. A Polícia Militar do Rio não se manifestou sobre o aumento de vítimas durante operações policiais.

''O tráfico de drogas deve ser combatido com todo rigor, mas ao mesmo tempo com todos os recursos de inteligência para que a vida dos moradores não seja colocada em risco'', escreveu o colunista Chico Alves.

Rio de Janeiro

A cidade carioca é a segunda mais atingida com a pandemia do novo coronavírus, ficando atrás apenas do estado de São Paulo.

De acordo com as últimas atualizações do Ministério da Saúde, foram registrados 794 óbitos e 8.869 casos confirmados. Ao todo, o Brasil registra 5.513 mortes, 34.132 pessoas que conseguiram se recuperar da doença e 79.685 casos confirmados.

Para combater que a doença continua avançando na cidade, autoridades governamentais estão impondo medidas extremas.

O atual prefeito da cidade, Marcelo Crivella, informou durante uma entrevista coletiva que já está sendo obrigatório o uso das máscaras cirúrgicas nas ruas da cidade. O intuito é fazer com que a população carioca fique mais segura.

Aquelas pessoas que não utilizarem as máscaras, ficarão proibidas de entrar em transportes públicos, tendo como exemplo: metrô e ônibus. Além disso, também estão suspensas os lazeres públicos, tendo como exemplo: ida à praia, cachoeira, trilhas ou quaisquer outros ambientes públicos.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!