Por conta da pandemia do novo coronavírus, traficantes de algumas comunidades do estado do Rio de Janeiro estão impondo regras para que o vírus não vitimize mais pessoas, tendo em vista que o Brasil já registrou mais de 6 mil mortes nesse período de quarentena.

De acordo com informações apuradas pelo jornal 'O Dia', apontou-se que criminosos da comunidade de Acari impuseram a medida de forma ardilosa para quem descumprir. "Os traficantes estão espalhados para colocar o povo que insiste em ficar na rua de volta pra casa, e é na lambada, mesmo. Sem dó, nem piedade. Eu tenho medo deles e mais ainda dessa doença", relatou uma moradora, de 45 anos, que preferiu não se identificar com medo de sofrer represálias.

Também foi informado que os traficantes estão abordando as pessoas que saírem de casa após 19h30. Moradores informam que só pode sair depois desse horário aquelas pessoas que estão indo ou voltando de seus respectivos empregos. Ainda não tiveram informações de quantas pessoas foram punidas por descumprirem as normas impostas pelos traficantes da comunidade de Acari.

A respeito da denúncias realizadas, a Polícia Civil informou por meio de notas que foi realizado um registro de constrangimento ilegal sobre o caso, com base em divulgações da imprensa e também de depoimento de moradores pelas redes sociais. Outras comunidades do Rio também estão adotando o mesmo critério de castigo para que descumprir o isolamento social.

Rocinha e ordens de traficantes

Traficantes da Rocinha também teriam colocado faixas aos acessos da comunidade alertando a população local. Os cartazes informavam que era necessário cumprir com as medidas de quarentena. Caso o ato for descumprido, medidas iriam ser tomadas. O baile funk de todas as comunidades cariocas também foram suspensos por tempo indeterminado.

Na parte do dia, o comércio continua funcionando normalmente na Rocinha, mas o toque de recolher é válido para todos na parte da noite.

Rio de Janeiro

A cidade carioca é a segunda mais afetada com a pandemia do novo coronavírus, ficando atrás apenas do estado de São Paulo. Informações do Ministério da Saúde aponta que 921 pessoas morreram após sofrerem complicações no tratamento médico para combater o contágio do vírus.

Medidas de combate ao vírus já foram aplicadas por entidades governamentais cariocas.

Mascarás cirúrgicas já estão sendo distribuídas de forma gratuita por alguns agentes da prefeitura. O intuito é proteger a população que ainda continua exercendo as atividades profissionais nesse período de quarentena. Quem não tiver com o item de segurança poderá ser penalizado com multas.

Previsão para o término da quarentena no estado

O atual prefeito do Rio, Marcelo Crivella, informou que não existe uma data precisa para terminar a quarentena na cidade. Com isso, muitas mortes continuam sendo registradas. Um levantamento realizado pelo jornal G1 aponta que sete agentes da segurança pública morreram em menos de 24 horas após serem diagnosticados com o contágio do novo coronavírus.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!