O portal oficial da Covid-19 do Ministério da Saúde foi reativado no sábado (6), trazendo apenas dados consolidados sobre a doença. Ele havia sido tirado do ar para "manutenção" na sexta-feira e, após as 19 horas, retornou com uma quantidade reduzida de informações, correspondentes somente ao que foi incluído na base de dados do Governo nas últimas 24 horas.

Com essa atualização, deixam de constar na página números importantes, como a quantidade de pessoas infectadas pelo coronavírus desde o início da pandemia e o número de óbitos acumulados. A estimativa é de que o Brasil tenha passado, na sexta-feira, da marca de 35 mil mortes por Covid-19.

Trazendo apenas os "casos novos", o portal deixa de oferecer à população informações acerca da evolução da pandemia, além de não mais apresentar a curva de novas infecções por data de notificação, separadas por número da semana epidemiológica – o que permitiria saber em qual estágio da epidemia o país se encontra.

Esses dados possibilitavam a pesquisadores, tanto brasileiros como de outros países, analisar a situação da doença e de seu alastramento no território, além de observar a eficácia das ações governamentais quanto à contenção ou não do número de contaminações.

Recentes estudos conduzidos pela Universidade Federal de Pelotas (RS) apontaram que, em grandes cidades, o número de contaminados pode ser até sete vezes maior que o de notificações oficiais.

A subnotificação tem sido uma tendência detectada por pesquisas em diversas universidades e institutos.

De acordo com o jornal El País, os números brasileiros chegaram a desaparecer por algumas horas da plataforma da Universidade Johns Hopkins, que monitora a pandemia em 188 países a fim de verificar a situação do coronavírus pelo mundo.

Uma busca no site oficial do Ministério da Saúde mostra que o último boletim epidemiológico sobre Covid-19 foi disponibilizado para download no dia 25 de maio, com os dados referentes à semana epidemiológica 21. Também não é possível encontrar boletins epidemiológicos atualizados para influenza, síndrome gripal e Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG).

Carlos Wizard diz que Ministério pretende recontar números

O empresário Carlos Wizard, que assumirá a Secretaria da Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos, afirmou à coluna de Bela Megale, do jornal O Globo, que o Ministério da Saúde irá recontar os números de mortos por Covid-19 no país, pois os dados seriam "fantasiosos ou manipulados".

Convidado a assumir a pasta pelo general Eduardo Pazuello, ministro interino da Saúde, o bilionário é dono da rede de escolas de idiomas que leva seu sobrenome. Sem experiência formal na área de medicina e saúde pública, é defensor da cloroquina, e tem atuado como conselheiro de Assuntos Estratégicos do Ministério. Ele irá ocupar o cargo que está vago desde o dia 22 de maio, quando foi exonerado Antonio Carlos Campos de Carvalho, médico que assumiu a secretaria por menos de um mês.

Ao contrário daquilo que vem sendo apontado por pesquisadores, que sugerem uma grande subnotificação do número tanto de casos como de mortes por Covid-19, Wizard alegou que gestores públicos estariam inflando os números para receber verbas adicionais em seus municípios ou estados.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!