Estudos de caso publicados a partir de relatos de médicos na China, Estados Unidos e Itália têm demonstrado complicações no sistema nervoso central de pacientes infectados pelo novo coronavírus, de acordo com o jornal britânico Daily Mail. Uma pesquisa realizada na China entre 16 de janeiro e 19 de fevereiro apontou que pelo menos 36,4% dos pacientes relataram algum problema neurológico após terem sido contaminados.

Médicos chineses observaram 214 indivíduos infectados, dentre os quais 78 disseram ter sofrido de tontura, confusão mental, dor de cabeça, perda de coordenação muscular, dormência ou formigamento nas extremidades (acroparestesia), entre outros efeitos.

A perda de olfato e paladar, frequentemente relatadas, também se associam a como o vírus afeta o sistema nervoso.

Nos Estados Unidos, um senhor de 74 anos que sofria previamente de mal de Parkinson e problemas crônicos nos pulmões, após procurar atendimento de emergência na Flórida apresentando tosse e febre, foi submetido a um exame de raio-X e, não havendo sinais de pneumonia, foi liberado para retornar à sua residência.

No dia seguinte, com o aumento da febre e sensação de falta de ar, foi levado novamente ao hospital e, durante o atendimento, verificou-se que perdeu a habilidade de falar temporariamente. Conforme narrado pelo The New York Times, o senhor agitava estranhamente seus braços e pernas, como se tivesse uma convulsão.

Suspeitando da covid-19, os médicos realizaram o teste e obtiveram resultado positivo.

No dia 31 de março, em Detroit, uma comissária de voos de 58 anos chegou ao hospital com sintomas de confusão mental, desorientação e letargia, reclamando de uma dor de cabeça, além de apresentar tosse e febre. Os médicos realizaram uma série de exames, incluindo para febre do Nilo Ocidental e catapora.

A tomografia de seu cérebro revelou inchaços e inflamações anormais em algumas partes e também que havia células mortas no órgão. As lesões se concentravam especialmente no tálamo, região responsável por enviar as informações sensoriais vindas das extremidades para o córtex cerebral, que as processa. Além disso, foram identificados sangramentos e lesões nos lobos temporais, responsáveis pela consciência e pela memória, bem como por sensações.

Os médicos diagnosticaram uma condição perigosa, chamada encefalopatia necrosante aguda. Ela pode ser causada por algumas infecções virais e já foi observada em outros casos de influenza (gripe), mas ainda não havia sido associada à covid-19, para a qual a paciente testou positivo.

De acordo com a neurologista Elissa Fory, que trabalha no hospital em que a mulher se encontra internada, esses testes revelam que, em alguns poucos casos pode ocorrer de o vírus chegar ao cérebro, pelo sangue ou pelo nervo olfativo.

Também na Itália e em outros países foram observadas ocorrências semelhantes. Segundo o médico Alessandro Pandovani, que atua em uma ala exclusivamente reservada a pacientes com problemas no sistema nervoso em decorrência da covid-19, no hospital da Universidade de Brescia, há casos em que a pessoa apresenta confusão mental antes mesmo de ter os demais sintomas relacionados ao coronavírus.

Conjuntivite também está entre os sintomas da covid-19

Além das condições neurológicas, outro sintoma observado em pacientes infectados pelo novo coronavírus é a conjuntivite. Após realização de três pesquisas científicas, a Academia Americana de Oftalmologia concluiu que, em quadros graves da covid-19, pode haver ocorrência dessa inflamação que acomete a membrana externa do globo ocular.

A conjuntivite é normalmente causada por bactérias ou vírus que acometem as vias aéreas superiores, sendo mais uma condição à qual as pessoas devem estar atentas para observar se, em conjunto, apresentam aqueles sintomas característicos da infecção pelo novo coronavírus.

A Sociedade Americana de Oftalmologia recomenda que, além das precauções de não tocar os olhos, nariz ou boca com as mãos, pessoas que normalmente usam lentes de contato deem preferência aos óculos em tempos de pandemia.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!