A Caixa Econômica Federal anunciou o bloqueio de contas registradas junto ao aplicativo Caixa Tem por suspeita de irregularidades e fraudes para a obtenção do Auxílio Emergencial. Há casos de usuários sem irregularidades que tiveram seus acessos bloqueados e, portanto, precisam seguir um passo a passo como medida de segurança para desbloqueá-la novamente.

O executivo Pedro Guimarães, atual presidente do banco, afirma que foram rastreados hackers que conseguiam criar várias contas do aplicativo no mesmo celular para que conseguisse receber mais de um benefício. Pedro afirmou que pessoas sem irregularidades foram afetadas pela ofensiva da Caixa Econômica Federal em bloquear contas para sanar as irregularidades.

O Ministério da Cidadania falou que cerca de 1,3 milhão de CPFs (Cadastro de Pessoa Física) foram bloqueados por suspeitas de irregularidade e precisam seguir novos procedimentos de revalidação e segurança para reaver o cadastro. O número contrasta com o que foi previamente informado pela própria Caixa, de que "centenas de milhares" de contas teriam sido bloqueadas.

Ainda está sendo investigado e não é possível afirmar que tais CPFs tenham o Auxílio Emergencial cancelado e não possam mais tentar receber o benefício. O usuário terá que passar pelos procedimentos de desbloqueio da conta para revalidar sua elegibilidade para o benefício.

Como desbloquear a conta suspeita de fraude

O governo federal dividiu em dois grupos os usuários que tiveram suas contas bloqueadas: em um grupo os que possuem cadastro com suspeita de fraude (correspondem a 51% do total), em outro os que possuem informações pendentes e inconsistências cadastrais (49% do total).

Cada um dos grupos seguirá um procedimento diferente para fazer o desbloqueio da conta.

Os usuários que estiveram na maioria, isso é, entre o grupo com suspeita de fraude, vão ter que se direcionar até alguma agência da Caixa Econômica Federal com a documentação necessária para resolver a situação do bloqueio da conta pessoalmente.

Para constar que está no grupo com suspeitas de fraude, os usuários, ao entrarem no aplicativo Caixa Tem, recebem a seguinte mensagem: "É necessário regularizar o seu Acesso.

Procure uma agência, de acordo com o seu calendário de recebimento". Assim, o usuário deve se direcionar a uma agência Caixa para comprovar sua identidade e o direito ao recebimento do Auxílio Emergencial.

O calendário é o seguinte:

  • Aniversariantes de jan/ fev/ mar: até 24 de julho
  • Aniversariantes de abr/ mai: 27 de julho a 31 de julho
  • Aniversariantes de jun/ jul: 3 de agosto a 7 de agosto
  • Aniversariantes de ago/ set/ out: 10 de agosto a 14 de agosto
  • Aniversariantes de nov/ dez: 17 de agosto a 21 de agosto

Segundo o presidente da Caixa Econômica Federal, os bancos só vão atender quem já recebeu o pagamento do "Ciclo 1" do Auxílio Emergencial.

Nesse caso, os usuários precisam ficar atento para não dar viagem perdida à Agência Caixa.

O calendário foi estipulado depois de inúmeros relatos de formação de longas filas e aglomerações dentro das agências Caixa Brasil afora.

Como fazer o desbloqueio em caso de documentação pendente

Já os usuários do segundo grupo, que possuem apenas a documentação pendente, não precisam se deslocar pessoalmente a uma agência Caixa para resolver as pendências. Tudo pode ser resolvido no próprio aplicativo Caixa Tem de maneira totalmente virtual. O usuário será redirecionado para uma conversa no WhatsApp onde poderá enviar por anexo os documentos pendentes para recuperar sua conta.

O usuário precisa ir até o menu "Liberar Acesso", no que, logo em seguida, receberá uma mensagem que dirá o seguinte: "Para finalizar a validação do seu cadastro, vamos precisar que envie seus documentos pelo WhatsApp".

Depois receberá a seguinte mensagem: "Para iniciar a conversa, clique no link abaixo e mande a palavra CADASTRO".

O link redireciona diretamente o usuário para uma conversa de WhatsApp em que ele poderá enviar em anexo os documentos necessários para revitalizar o cadastro então bloqueado. A mensagem com o link só deve ser acessada pelo aplicado Caixa Tem, por questões de segurança e autenticidade do procedimento.

O procedimento, por ser totalmente on-line via aplicativo, não necessita de calendário de acordo com o mês de aniversário e pode ser realizado a qualquer momento. Resta ao usuário aguardar a confirmação de autenticidade dos documentos enviados para que a conta seja desbloqueada e você pode novamente operar seu Auxílio Emergencial.

Como funciona o Auxílio Emergencial?

O Auxílio Emergencial é uma medida do governo federal de contenção aos malefícios econômicos ocasionados pelas medidas de isolamento social consequentes da pandemia do novo coronavírus. O benefício, que no início seria apenas três parcelas de 600 reais a ser enviada aos cidadãos que se encaixassem nos pre-requisitos, está agora fechado em cinco parcelas a serem distribuídas aos aprovados até o final do ano.

A distribuição do dinheiro está sendo feita por meio do aplicativo Caixa Tem, após aprovação do beneficiário por meio do aplicativo do Auxílio Emergencial. O Caixa Tem é utilizado tanto para movimentação e saque do Auxílio Emergencial, como também para saque do FGTS Emergencial.

Os pagamentos são feitos primordialmente em poupanças digitais e só podem ser usados para pagamentos de boletos ou compras feitas na Internet, não podendo ser sacado como dinheiro físico.

Somente após o prazo estipulado pela Caixa Econômica Federal que o dinheiro do benefício pode ser sacado e utilizado pelo contribuinte da maneira que ele desejar. A iniciativa é uma forma de evitar as longas filas nas agências e lotéricas de forma a minimizar as aglomerações sociais em virtude da pandemia do novo coronavírus.

O Auxílio Emergencial surgiu no mês de março como uma contra-proposta da Câmara dos Deputados em relação à primeira proposta feita pelo Ministério da Economia e vem sendo o principal suporte financeiro de proteção da economia frente a forte paralisação provocada pelo advento da Covid-19. Previamente a proposta do executivo era de duas parcelas de 300 reais, o que não teve grande aceitação popular.

Ainda é incerto se o programa deve continuar após o fim da pandemia como medida estatal de recuperação econômica frente aos estragos e desemprego ocasionados durante todo o ano de 2020.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!