O candidato à presidência do Senado da República Renan Calheiros, do MDB de Alagoas, escreveu em seu perfil oficial do Twitter, nesta terça-feira (15), várias críticas dirigidas ao coordenador da Operação Lava Jato, procurador da República Deltan Dallagnol. Dallgnol é considerado um dos principais nomes da força-tarefa de investigação do Ministério Público Federal, no âmbito das apurações da maior operação anticorrupção já deflagrada na história contemporânea do país.

Vale ressaltar que a Lava Jato já foi conduzida em primeira instância pelo então juiz Sergio Moro, a partir da décima terceira Vara Criminal da Justiça Federal de Curitiba, e é atualmente comandada pela juíza substituta Gabriela Hardt.

Moro deixou a magistratura ao aceitar se tornar ministro da Justiça e da Segurança Pública no Governo do presidente Jair Messias Bolsonaro.

Corrida para a presidência do Senado da República

O coordenador da Lava Jato, procurador Deltan Dallagnol, vem se manifestando por meio das redes sociais contrariamente à candidatura do senador alagoano Renan Calheiros. Entretanto, nesta terça, o parlamentar proferiu ataques contra o membro do Ministério Público Federal. De acordo com o que Renan expressou em sua rede social, "o coordenador da força-tarefa da Operação Lava Jato, Deltan Dallagnol, continuaria a proferir palavras débeis, vazias e com interesse público, como um ser possuído".

Renan Calheiros é um dos principais políticos investigados no âmbito da Lava Jato e tenta voltar ao comando do Senado Federal.

O parlamentar responde a vários inquéritos relacionados a corrupção juntamente ao Supremo Tribunal Federal (STF). Entretanto, conforme decisão do presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro José Antonio Dias Toffoli, a votação do Senado deverá ocorrer com voto fechado. Porém, o voto sigiloso já tornou-se alvo de questionamentos na Suprema Corte brasileira.

Vale ressaltar que na última quinta-feira (10), o ministro Dias Toffoli rejeitou um recurso judicial que havia sido impetrado com o intuito de se observar a divulgação da escolha de senadores para o cargo de presidente da Casa Legislativa. Nesta segunda-feira (14), o chefe da força-tarefa de investigação da Lava Jato, procurador Deltan, compartilhou através das redes sociais uma notícia veiculada pelo jornal Correio Braziliense, em que a votação secreta seria considerada um "trunfo" para o senador Renan Calheiros na disputa pelo cargo de presidente do Senado Federal.

Deltan Dallagnol afirmou ainda, que mais de 500 mil pessoas já sinalizaram o apoio à realização de voto aberto para a eleição do Senado e que isso seria "um grito da sociedade pelo direito de fazer o acompanhamento da posição de seus representantes, no que tange à escolha que pode ser considerada tão importante, quanto a eleição que se caracteriza para a escolha de um presidente da República".

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Lava Jato
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!